Publicidade
Entretenimento
Vida

Projeto parintinense está na final do Prêmio Vivaleitura 2012

O projeto Jovem Leitor foi um dos quatro selecionados na região Norte e concorre a um prêmio de R$ 30 mil na categoria ONGs, Pessoas Físicas, Universidades/Faculdades e Instituições Sociais 18/12/2012 às 12:44
Show 1
Atividades do 'Jovem Leitor' incluem desenhos e sessões de cinema
a crítica Manaus, AM

Uma iniciativa que dissemina o gosto pela leitura entre jovens de 9 a 16 anos da rede pública de ensino de Parintins está entre os finalistas do Prêmio Vivaleitura 2012, promovido pelo Governo Federal. O projeto Jovem Leitor foi um dos quatro selecionados na região Norte e concorre a um prêmio de R$ 30 mil na categoria ONGs, Pessoas Físicas, Universidades/Faculdades e Instituições Sociais.

Criado em 2009, a partir do sarau “Saberes e sabores”, realizado pela Livraria Universitária de Parintins (Lupa), o projeto foi contemplado em um edital do Ministério da Cultura, no ano seguinte, o que possibilitou a estruturação de um espaço e a aquisição de livros para o desenvolvimento das atividades.

Além dos saraus, o Jovem Leitor conta com ações de leitura e produção textual. “O projeto promove algo importante, que é a valorização dos autores regionais. Trabalhamos com obras de escritores como Wilson Nogueira e Elson Farias”, explicou o proprietário da Lupa e idealizador do projeto, o pedagogo Edilson Albarado.

SOCIALIZAÇÃO

Segundo Albarado, o projeto segue a linha da socialização do conhecimento. “Temos esse compromisso. Aprendi através da universidade e da própria vida que precisamos socializar o que aprendemos, pois o conhecimento só faz sentido a partir do momento em que é compartilhado”.

O projeto Jovem Leitor já atendeu mais de 70 crianças e jovens parintinenses e conta com o apoio de quatro estagiários,  que auxiliam os participantes na interpretação das obras e na produção de poesias, desenhos e textos. “Livros como os da coleção ‘As aventuras do Zezé’, de Elson Farias, retratam bastante a região, o que motiva os alunos a se identificarem com a terra natal deles”, acrescentou Albarado.

RECONHECIMENTO

Dentre outras atividades, a iniciativa promove o empréstimo de livros. Segundo os cálculos do coordenador, cada participante que passou pelo projeto já leu, em média, dez livros diferentes. Para ele, a seleção para o Vivaleitura é um reconhecimento pela ação que sua equipe vem desenvolvendo na cidade.

As ações do projeto terminam em janeiro, mas Albarado conta com os recursos da premiação para manter os estagiários. A cerimônia de premiação, que contará com a participação de todos os finalistas, jurados, parceiros e autoridades dos Ministérios da Educação e da Cultura, será realizada no início de 2013.