Publicidade
Entretenimento
Vida

Projeto 'Pequenos Autores' lança escritores mirins

O projeto tem cumprido o seu objetivo principal de difundir a cultura amazônica e estimular a escrita, o hábito da leitura e a criatividade de estudantes 19/10/2012 às 10:10
Show 1
O projeto está em sua quinta edição e já incentivou a criação de mais de 5 mil contos
a crítica Manaus, AM

Decidido a concluir os estudos com mais empenho, o estudante Ramisson Costa, 15 anos, é um dos dez jovens autores que teve a história de sua autoria selecionada para compor o livro “O que é da nossa terra”, que será lançado pelo projeto Pequenos Autores, no próximo dia 27, no Teatro Direcional Manauara.

Aluno do 6º ano, Ramisson encontrou no projeto uma oportunidade atrativa para se desenvolver, recuperar o tempo perdido e avançar nos estudos. O estudante participou, na última quarta-feira, 17, do lançamento da revista “Talentos da nossa terra”, na Escola Municipal Vicente Cruz, junto com os demais participantes da ação cultural.

Incentivo

A revista é uma das dez edições especiais que serão lançadas até hoje, em todas as instituições de ensino participantes do projeto, criado pelo Grupo Simões e desenvolvido em parceria com as secretarias municipal e estadual de Educação (Semed e Seduc).

Dono de uma notável desenvoltura, Ramisson Costa disse que a primeira tentativa de escrever o conto foi frustrada. “Eu comecei brincando com os meus amigos. Não levei a sério, da primeira vez. A professora disse que eu tinha só mais uma chance para fazer um bom trabalho. Foi quando eu decidi escrever sozinho e criei a minha própria história. Nunca imaginei que pudesse ser escolhida”, contou.

Perseverante

Transferido para a Escola Municipal Elizabeth Beltrão, no Santa Etelvina, onde estuda à noite, Ramisson voltou à Vicente Cruz na quarta-feira, especialmente para participar do lançamento da revista, que é encabeçada pela sua história.

Segundo ele, a transferência foi motivada pela necessidade de ajudar a cuidar dos seis irmãos, durante o dia, enquanto os pais trabalham. “Em qualquer escola que eu estiver a partir de agora, vou me dedicar aos meus estudos”, ressaltou ele, que já perdeu dois anos letivos.

O gestor da Escola Municipal Vicente Cruz, Everton Batista, disse que Ramisson é apenas um dos alunos que adotaram um novo olhar sobre a leitura e os estudos. “Hoje, um número maior de alunos já frequenta a biblioteca. O projeto deixou um legado muito importante para a formação dos nossos alunos”, destacou. De acordo com o diretor comercial de bebidas do Grupo Simões, Bruno Sobral, observando os resultados, o projeto tem cumprido o seu objetivo principal de difundir a cultura amazônica e estimular a escrita, o hábito da leitura e a criatividade de estudantes.

O projeto está em sua quinta edição e já incentivou a criação de mais de 5 mil contos. Na edição deste ano, as escolas participantes são: Escola Estadual Prof Dorval Varela, Escola Integral Irmã Gabrie lle, Escola Municipal Vicente Cruz, Escola Municipal Lucila Frutas, Escola Letício de Campos, Escola Estadual Raimundo Gomes, Escola Municipal Eliana Lúcia, Escola Integral Garcitylzo do Lago, Escola Municipal Violeta de Mattos e Escola Municipal Professora Francisca Campos.