Publicidade
Entretenimento
Vida

Redes sociais para públicos com ‘bons vícios’

Sites reúnem gente conectada por conta de interesses bastante específicos 24/02/2013 às 14:42
Show 1
Pinterest: Um quadro de inspirações e belas imagens
Mellanie Hasimoto ---

Amantes de livros, música, filmes, comida, e até mesmo daquele “corridão” têm um lugar para compartilhar dicas, programar metas ou apenas acompanhar o que os outros usuários estão fazendo. As redes sociais com um tema específico são divertidíssimas para quem está à procura de gente que compartilha o mesmo vício, seja ele em seriados de televisão, ou inspirações para nail arts.

A enfermeira Juliana Lima, 34, é viciada em séries de televisão e, por isso, usa o GetGlue para compartilhar com os amigos que tem na rede o que andou assistindo. “Uso o GetGlue para fazer comentários sobre os filmes e séries que assisto. Lá, só falo das minhas séries, e fico mais por dentro do que em outras redes sociais”, disse.

O GetGlue é uma plataforma que está presente em diversos formatos, e Juliana tira proveito disso. “Uso no iPhone, iPad e computador. E, mesmo que acabe ‘falando sozinha’, gosto de saber o que o resto do mundo está vendo”, completou. Outra vantagem, para Juliana, são os adesivos que os usuários ganham ao fazer check-in em determinado programa. Quando o usuário atinge um determinado número de programas ou episódios assistidos, ganha o direito de escolher uma dezena de stickers para receber em casa. Para quem não quer misturar filmes a outros programas, há o Filmow e o iCheckMovies.

Leitura e metas

Viciados em livros têm o Skoob (ou ‘Books’, ao contrário, livros em inglês). A hoteleira Camila Rocha, 26, além de ter um blog onde faz resenhas das obras que lê, marca no Skoob o progresso da sua leitura. “Podemos, também, criar as metas de leitura. Tipo, vou ler tal livro, ou terminar aquele capítulo, ou quero ler tantos livros esse ano. A gente pode trocar livros com os usuários da rede, e compartilhar o que você está achando da leitura, no Facebook e no Twitter. Gosto bastante do serviço, que foi criado por brasileiros”, disse. As redes Shelfari e GoodReads têm o mesmo propósito.

Desde que começou a levar uma vida mais saudável, a diretora de arte Ana Carolina Amaral, 28, curte compartilhar seu desempenho nas corridas por meio do Nike+. “Dá para usar com a rede pelo chip no tênis ou instalando o app no celular mesmo. Aí você corre com o celular – já que usa para ouvir música – e ele vai marcando sua rota de corrida, o tempo, a velocidade. Como agora dá para adicionar os amigos, dá para ver o ranking que o app cria, e mostra quem está correndo mais, em quilômetros ou número de corrida”, apontou. “Vejo o quanto uma amiga minha corre e fico querendo correr pelo menos um terço daquilo. Me anima!”, revelou.

‘Bonitezas’

A publicitária Carol Thomé, 29, gosta de ver coisas bonitas, e admite o vício no Pinterest. Criado em 2011, a rede social teve um boom no ano passado, e hoje vicia milhares de pessoas pelo mundo inteiro. “Para mim serve como um mural de inspiração mesmo, pois quando preciso de fotos, algo relacionado ao trabalho, design, fotografia, beleza, ao invés de ir no Google eu vou lá”, disse, provando que uma curadoria de imagens com qualidade é mais importante que quantidade. “Toda noite, antes de dormir, dou ‘aquela’ olhada lá”, completou. O Pinterest permite aos usuários organizar as imagens por quadros, deixando as imagens mais organizadas, com belas imagens de natureza, penteados para festas e até mesmo desenhos nas unhas.

Outra rede social que vale a pena checar é a “Foodie”, para os maníacos por receitas diferentes, clássicas, de entradas, a pratos principais e sobremesas e tudo relacionado a cozinha. “YumYum!” permite que quem tem conta no serviço possa compartilhar as famigeradas fotos de comida com os amigos. Já o “Stereomood” é uma “rádio” que, ao invés de estações, tem “moods”, ou estados de humor: tem de “romântico” a “quando a chuva cai” e “amante do espaço”, e todas as listas de reprodução são criadas de acordo com as etiquetas inseridas pelos próprios usuários. O “GrooveShark” funciona quase que da mesma forma que o “Stereomood”, mas as playlists são divididas por gênero.

O “LinkedIn” é uma rede social que permite ao usuário mostrar seu currículo para o mundo inteiro e, dessa forma, fazer networking na sua área de trabalho. É interessante para quem procura novas oportunidades, e dá para dar “opiniões” sobre amigos e colegas de trabalho – tudo sem a sombra do anonimato, claro.