Publicidade
Entretenimento
Vida

Rua Rio Branco, no Vieiralves, é uma das opções para os apreciadores do "happy hour"

A reportagem do Vida & Estilo visitou os três maiores “culpados” por toda essa badalação - os bares Touchdown, Confraria de Minas e Gargalo, que apostam nas diferenças e semelhanças entre seus públicos como ingredientes de uma receita de sucesso: quando uma casa lota, a outra agradece 20/05/2012 às 15:38
Show 1
Os casais Tálita e Ruy Filho e Demian e Pollyana fazendo um brinde no happy hour do Touchdown
Felipe de Paula Manaus

A rua Rio Branco, no bairro do Vieiralves, era mais uma remota perimetral dentro de um charmoso bairro de classe média alta. Em menos de um ano, ela vem se tornando o novo point da cidade, como excelente alternativa para um happy hour, jantar ou mesmo uma boa noite de bar com os amigos.

A reportagem do Vida & Estilo visitou os três maiores “culpados” por toda essa badalação - os bares Touchdown, Confraria de Minas e Gargalo, que apostam nas diferenças e semelhanças entre seus públicos como ingredientes de uma receita de sucesso: quando uma casa lota, a outra agradece.

As casas

Wilson Monteiro, dono do Gargalo, foi o primeiro a se estabelecer no local, há cerca de um ano e meio. Para ele, a chegada dos “concorrentes” só fez alavancar o sucesso do estabelecimento, considerando os diferentes públicos de cada bar e apostando na diversidade de sua música ao vivo, o que o destaca entre os demais. “Nossa cozinha também só fecha quando fecha o bar”, destaca ele.

Yuri Czovny, proprietário do Touchdown, chegou em fevereiro, mas já está com a bola toda: voltado para a temática esportiva, o bar tem a megaestrutura de 190 lugares, 15 telas com assinatura de canais de esportes diferentes e um cardápio variado de comidas e cervejas importadas. “Estamos também preparando uma surpresa para a época dos Jogos Olímpicos”, promete ele. P

ara Yuri, que se inspirou principalmente nas sanduicherias americanas para montar o local, a concorrência também não é problema, muito pelo contrário (ver frase). No caso do Confraria de Minas, o terceiro pilar do sucesso do baixo-Vieiralves entre a refinada boemia manauara, o atrativo maior vem da qualidade gastronômica, capitaneada pelo premiado chef Hudson Teixeira.

Outro ponto alto do bar é a qualidade da música, que vai do clássico chorinho às delícias da MPB. Para Hudson, a pedida é uma só: “O novo point de Manaus chama-se Rua Rio Branco, Vieiralves”, afirma.

Os casais

Ruy Filho e Tálita e Demian e Pollyana foram ao Touch down pela primeira vez na última sexta-feira. Parte da turma já tinha ido ao Gargalo e tinham ótimas referências da Rua Rio Branco. Para eles, o grande diferencial é o atendimento, além do fato de que, nos bares, apesar do alto padrão, a cerveja não sai cara. “Manaus estava precisando de um ‘happyhourzinho’ bom, que em todo canto é tradicional”, diz Demian. J

á Pollyana se questiona sobre a perenidade dessa badalação, mas, para Ruy, o Vieiralves é o lugar certo pra se implantar essa cultura de zona boêmia. No Gargalo, encontramos num papo acalorado a turma de Wanessa Matos. Para ela, a rua é a Vila Madelena Manauara (famoso bairro de SP repleto de bares de alto padrão).

“Já estava na hora de Manaus ter a sua”, brinca o amigo Sérgio. Quem também estava agitando a noite no Touchdown era a turma de estudantes Giovanni, Maurício, José Magno, Marjorye e Maurício. Em clima de descontração, eles conversaram com a reportagem de A CRÍTICA sobre a nova pedida do momento. “Toda quarta-feira e sábado estamos aqui, seja para o jogo do Vasco, o UFC ou a Champions League”, vociferou Giovanni Schramm.