Publicidade
Entretenimento
Vida

Segundo estudo, TPM ‘rouba’ 72 dias por ano da mulher

A reflexologia podal ajuda a diminuir os sintomas da síndrome que incomoda, em graus variados, 75% das brasileiras adultas 27/02/2013 às 11:24
Show 1
Técnica milenar de massagem que estimula pontos específicos dos pés, a reflexologia podal é uma das alternativas de combate a síndrome pré-mestrual
acritica.com ---

A sindrome pré-menstrual toma 144 horas por mês ou 72 dias por ano da mulher brasileira conforme estudo feito recentemente. Esse é o tempo mínimo que uma mulher perde da sua vida quando sofre com a famosa TPM (tensão pré-menstrual), problema que afeta 75% das mulheres e, como o próprio nome diz, é um conjunto de sintomas físicos e emocionais que ocorrem de três a dez dias antes do início do ciclo menstrual e acaba no primeiro ou no segundo dia dele.

Os sintomas são bem conhecidos. Um belo dia a mulher acorda e acha tudo cinza, uma tristeza imensa invade seu peito e, ao mesmo tempo, começa a questionar o próprio estilo de vida, seus familiares, amigos e companheiro. Esses sintomas atuam como uma lente de aumento, que amplifica os reais sentimentos das mulheres. Mas o maior perigo da TPM é a possibilidade da mulher confundir esta amplificação com a realidade e, por causa disso, tomar posições precipitadas em relação ao mundo e aos seus relacionamentos.

A síndrome incomoda boa parte das mulheres

A reflexologia podal é uma ótima alternativa para o combate dessa síndrome. Trata-se de uma técnica de massagem milenar que concilia estimulação e aplicação de pressão em pontos específicos dos pés. Cada ponto corresponde e reflete em um órgão, víscera ou glândula. “Essa pressão deve ser exercida por um período de três a oito segundos por um especialista na técnica”, explica o terapeuta corporal Itagiba Matos, diretor da Companhia Zen, uma consultoria de qualidade de vida (www.ciazen.com.br).

De acordo com o profissional, existe uma sequência específica dessa terapia que equilibra o corpo, promovendo o retorno da homeostase (equilíbrio do corpo) capaz de reduzir a tensão, não apenas pré-menstrual, e proporcionar o relaxamento no paciente. A duração de cada tratamento varia de acordo com o problema.

Tensão pré-menstrual, ou TPM, é o nome técnico de uma série de sintomas que se manifestam antes da menstruação. Os especialistas alertam que logo após a menstruação esses sintomas devem desaparecer. Se isso não acontecer, é preciso consultar um médico imediatamente porque uma doença pode estar por trás da manifestação. Normalmente a TPM é caracterizada por depressão (nos mais variados níveis), dor no peito, irritabilidade e agressividade. Dor de cabeça também é um sintoma freqüente. No campo emocional a mulher também fica mais sensível e chora com maior facilidade, da mesma forma que pode ter acessos rápidos e sem motivo de raiva.

Mulheres têm sinais diferentes da síndrome

A dona de casa Marília Lima, 44, anos conta que a TPM dela ficou pior com a idade, pois na juventude sequer sentia os desconfortos comuns relatados por outras mulheres. “Era bem normal, não tinha problema nem antes, nem durante e nem depois. Agora depois dos 40 veio surgindo essas coisas de irritabilidade e choro”, conta ela.

Para a administradora Feliciana Guimarães, 45, o segredo de superar a TPM com o mínimo de problemas é saber conviver com ela. “Como administro uma equipe grande de pessoas, quando chega a época da TPM, mentalmente eu faço um esforço extra para não entrar em bolas divididas no trabalho”, brinca. “Decisões importantes nesse período, só se forem urgentes, imediatas”, completa.

Além da reflexolgia podal, também são recomendados para reduzir os efeitos da TPM a prática de exercícios físicos. No campo das terapias com medicamentos, a dica é procurar um médico e relatar os sintomas da síndrome. Com base nestes relatos, um bom ginecologista póderá preescrever o melhor tratamento medicamentoso.