Publicidade
Entretenimento
SOM DO NORTE

Semana Internacional de Música de SP terá ‘comitiva’ de cantoras e bandas de Manaus

Evento acontece entre os dia 6 e 10 de dezembro e ocupará mais de 20 espaços com uma programação de mais de 130 artistas 28/11/2017 às 22:07 - Atualizado em 29/11/2017 às 07:14
Show capturar
(Fotos: Divulgação/Reprodução)
Tiago Melo Manaus (AM)

Não há dúvidas de que o Norte já vem espalhando e fincando suas raízes artísticas pelo Brasil há algum tempo, seja na literatura, na música, no cinema ou demais frentes. Dessa vez, contudo, a 'invasão' será em massa e o alvo é, nada mais, nada menos, que o principal centro de cultura do país: a cidade São Paulo; mais precisamente a Semana Internacional de Música (SIM).

A Semana, que entre os dia 6 e 10 de dezembro ocupará mais de 20 espaços e casas de show da cidade com uma programação pulsante de mais de 130 artistas de vários estados brasileiros e países, como Canadá, França, Austrália, Portugal, Chile e Inglaterra, recebe no dia 7 de dezembro a 'Noite Toca da Caboca', uma comitiva amazonense de peso apadrinhada por Zezinho Correa e formada por Marcia Novo, Anne Jezini, Elisa Maia, Luneta Mágica, Alderia e Alaídenegão.

Para o vocalista e guitarrista da Luneta Mágica, Erick Omena, cuja banda já fez de São Paulo uma espécie de segunda casa, a participação do Amazonas em um evento da importância do SIM, é imprescindível.  "A ideia é justamente fincar a bandeira do nosso Estado no maior evento de conferência musical da América Latina. Evento no qual empresários, bookers, managers e outros nomes importantes da indústria se encontram para finalizar o ano e planejar o seguinte", afirma Omena.

Erick ressalta, ainda, que além dos shows, a equipe manauara participará também de um painel de palestras sobre a música do Norte, ao lado de artistas do Pará. Segundo ele, foi por conta da importância do evento que o grupo resolveu se unir.

A banda, que no SIM dividirá o palco com a Alderia, deverá retornar a São Paulo com em janeiro e fevereiro para alguns shows especiais antes do Lollapalooza, em março. "Fazer show em São Paulo é sempre interessante. Eles tem uma cultura de consumir coisas novas e ter a atenção de um público que esteja disposto a isso é muito bom", disse Omena.

Vozes femininas

Acompanhada da amiga Elisa Maia, que deverá apresentar músicas do seu próximo disco, Anne Jezini exibirá faixas do seu álbum mais recente, 'Cinética', lançado em julho do ano passado. O registro, vale lembrar, recebeu críticas positivas da revista Rolling Stone Brasil. Sobre o trabalho foi dito que, "calcado nos beats e na voz de Anne, Cinética é ao mesmo tempo contagiante e tenso, com a artista buscando uma paz utópica".

Segundo ela, a oportunidade também será perfeita para conhecer o trabalho de diversos artistas. "Entre palestras, mesas redondas e meetings, a gente arranja um tempo de conferir o que realmente importa, que é a música, e através dela nos conectar com outros artistas", disse Jezini.

Entre as atrações, está a cantora Marcia Novo, que mostra a sua mais nova musicalidade, pertinentemente batizada de 'beira beat', mistura de beiradão (gênero de influência caribenha, popular nos bailes de beira de rio do Amazonas) com beats eletrônicos.

Cardume em ação

Sobre o SIM, o baixista e vocalista da Alaídenegão, Agenor Vasconcelos, avalia: "A responsabilidade é grande. Lá teremos um público mais especialista que estará de olho na gente. Como num shopping, estaremos numa vitrine e as gravadoras e grandes companhias estarão contratando nossos serviços".

De acordo com o músico, a comitiva manauara está mais para um grande cardume. "Por mais que alguns peixes desse cardume não morem em Manaus, todos nós levamos a cidade no peito. Nosso objetivo maior é mostrar a região e a cena musical forte dela", conclui o baixista.

Publicidade
Publicidade