Publicidade
Entretenimento
Vida

'Show de Talentos da Terceira idade' marca pela irreverência e descontração

Atividade reuniu grupo de 20 idosas do Programa de Trabalho Social com Idosos (TSI) do Sesc Centro e do Sesc Balneário. Atividades relacionadas à dança, poesia, culinária e artesanato foram mostradas aos visitantes 04/12/2012 às 22:25
Show 1
Idosa declama poema-canto e é ovacionada
Laynna Feitoza Manaus, AM

A descontração e o espírito natalino mesclado à produções artesanais e apresentações artísticas marcou o ‘Show de Talentos da Terceira Idade’, realizado nesta terça (04), das 11h às 15h, no Hall do Sesc localizado na Rua Henrique Martins, 427, bairro Centro. A atividade, orquestrada por senhoras integrantes do Programa de Trabalho Social com Idosos (TSI) do Sesc Centro e do Sesc Balneário, foi aberta aos visitantes em geral.

A coordenadora do TSI, Sônia Isolina, afirmou que diversos âmbitos do cotidiano são trabalhados com as idosas do programa, entre eles o artístico, o gastronômico e o ambiental. A prova viva é que um dos elementos que eram atração no evento eram 20 mini-árvores de Natal confeccionadas com restos de revistas pelas idosas. As produções são subsidiadas pelo projeto ‘Transformando Lixo em Luxo’, do TSI.

“Desenvolvemos a ação dentro da gincana que sempre realizamos. Essa ação envolveu visitas a locais de preservação ambiental, como o CIGS, por exemplo. Também trouxemos palestrantes que falaram sobre o meio ambiente a elas”, assegurou Isolina, destacando que há preocupação constante em inserir o grupo nas premissas de conscientização ambiental.

Ao todo, o evento expôs cerca de 300 peças entre joias, artesanatos e pinturas. Apresentações artísticas, como a performance em dança do ventre, em dança baiana, e a declamação de poemas-canto foram os destaques da atividade.

Membras


Uma das representantes da culinária no evento era Janete Langbeck, 68, jornalista e professora aposentada. Além de trabalhar no Arquivo Público do Estado do Amazonas, na área de Documentação e RP, e frequentar o TSI há 4 anos, ela preparou para degustação no evento a gelatina em mosaico, preparo que envolve sabores variados do doce em um único prato.

Langbeck ressaltou que, na convivência com outros idosos unidos em tantas atividades, o que mais aprendeu foi a igualdade social. “Na idade que nós chegamos, é tudo uma coisa só. Não há jornalistas, não há vereadores, não há distinções. Todos somos iguais na vontade de caminhar”, apontou Janete.

A performance de dança do ventre foi liderada pela dona de casa Raimunda Moinhos, 71, vestida de preto. Artesã nas horas vagas, ela contou que dança há 50 anos e que a dança do ventre é seu estilo coreográfico favorito.

“É importante estar, mesmo na idade em que estamos, em contato com a sensualidade, com o conhecimento do corpo. E a dança proporciona isso”, admitiu Raimunda ressaltando a importância da consciência corporal na ‘melhor idade’.

‘Pessoas idosas pensam mais positivo’


Um dos prestigiadores do ‘Show de Talentos da Terceira Idade’ foi o cantor e compositor Zezinho Corrêa. O artista afirmou que gosta de acompanhar atividades do gênero, porque, segundo ele, a criatividade flui mais nesta época do ano.

“Nesses trabalhos que observamos, vemos que existe mesmo uma mensagem de paz e de alegria, de confraternização. Acho que isso é o Natal mesmo. As pessoas então se tornam mais criativas, com essa veia artística que vem à tona e onde tudo se manifesta”, definiu Corrêa.

O cantor relacionou as atividades à vontade de viver e ao pensamento positivo que possui a terceira idade. “As pessoas idosas pensam realmente mais positivo. Muita gente pensa que é porque é idoso já tem que se aposentar, e eu digo que não, que é a hora de se movimentar, de trabalhar, de ser uma pessoa ativa. Fico feliz em saber que existem esses artistas idosos que estão colocando em prática tudo o que aprenderam na vida”, finalizou Zezinho.