Publicidade
Entretenimento
Buzz

Sylvester Stallone pede que deixem a alma do filho 'em paz'

"Quando um pai perde seu filho, não existe dor maior", disse o ator, de 66 anos. "Portanto, imploro às pessoas que respeitem a memória do meu  filho e sintam compaixão por sua mãe, Sasha", disse ele em comunicado enviado ao site de celebridades TMZ 17/07/2012 às 07:40
Show 1
O ator Sylvester Stallone
uol/celebridades ---

Nesta segunda-feira (16), o astro de Hollywood, Sylvester Stallone falou sobre a morte do filho, de 36 anos. Stallone fez um apelo para que a opinião pública deixe a "memória e a alma" de Sage "em paz".

"Quando um pai perde seu filho, não existe dor maior", disse o ator, de 66 anos. "Portanto, imploro às pessoas que respeitem a memória do meu  filho e sintam compaixão por sua mãe, Sasha", disse ele em comunicado enviado ao site de celebridades TMZ.

Segundo a polícia de Los Angeles (EUA), o corpo de Sage, encontrado na sexta-feira em seu apartamento, não apresentava indícios de agressão ou qualquer outro crime. Os resultados da autopsia do corpo ainda devem levar algumas semanas para ficarem prontos. Por enquanto, só existem especulações.

Sobre esses rumores de que uma overdose de remédios teria sido a causa da morte, Stallone falou: "Sentiremos essa perda terrível pelo o resto de nossas vidas. Sage foi nosso primeiro filho e o centro de nosso universo, e de forma humilde pedimos a todos que deixem a memória e a alma do meu filho em paz", declarou ele.

George Braunstein, advogado do filho do ator, disse que Sage "se encontrava bem e trabalhando em diferentes projetos". "Estava planejando se casar. Estou devastado. Era uma pessoa maravilhosa e incrível. É uma tragédia", explicou ao jornal "New York Post".

Sage Stallone foi fruto do primeiro casamento do pai com Sasha Czack, relacionamento que durou cerca de dez anos, e fez sua estreia no cinema em "Rocky 5", quando interpretou o filho do lutador. Depois, depois de interpretar outros papeis, passou a trabalhar como produtor e diretor.

A divisão de homicídios da polícia de Los Angeles determinou que o caso seja conduzido em sigilo.