Publicidade
Entretenimento
Buzz

Woody Allen lança novo filme "To Rome With Love" e reacende a chama de 'La Dolce Vita'

O cineasta americano Woody Allen apresentou nesta sexta-feira, na capital italiana, o filme "To Rome With Love" 13/04/2012 às 16:06
Show 1
O diretor americano Woody Allen, ao lado da atriz espanhola Penélope Cruz e o italiano Roberto Benigni durante apresentação do filme "To Rome With Love", em Roma – Itália (13/04/12)
AFP ---

 ROMA, 13 Abr 2012 (AFP) - O cineasta americano Woody Allen apresentou nesta sexta-feira, na capital italiana, o filme "To Rome With Love" estrelado por Alec Baldwin, Penelope Cruz e Roberto Benigni, fazendo reviver, na Cidade Eterna, um pouco da febre que marcou 'La Dolce Vita'.

"Nenhuma cidade é como Roma, ao contrário de Londres ou Paris, compreensíveis para um americano; Roma é extremamente exótica, o modo de vida é totalmente diferente, assim como as cores", declarou o cineasta à imprensa após a projeção em 'avant-première' mundial da versão dublada em italiano.

"Cresci com o cinema italiano, fui influenciado pelos filmes que saíam em Nova York", acrescentou ele vestido com um pulôver sobre a camisa, ao lado da estrela espanhola Penelope Cruz, do italino Benigni e também de Alec Baldwin e Jesse Eisenberg ("The Social Network").

Ouvido sobre suas recentes escolhas por metrópoles europeias (Barcelona, Londres, Paris), ele respondeu irônico: "Não poderia filmar do campo ou do deserto. Essas cidades se parecem com Nova York em termos de energia e cultura".

Woody Allen conhece bem Roma, onde vem quase todos os verões tocar sua clarineta com um grupo de jazz.

A última obra do mestre nova-iorquino, que será lançada no dia 20 de abril na Itália e no 21 de junho nos Estados Unidos, mostra em quatro sequências a vida de um grupo de americanos e italianos, "seus romances, aventuras e situações difíceis pelas quais passam", segundo a apresentação oficial do filme.

Benigni, conhecido internacionalmente depois de sua comédia doce-amarga "A Vida é Bela" sobre o Holocausto (1998, ganhadora de 3 Oscar), encarna no filme um homem comum confundido com um 'star' e que começa a ser perseguido por paparazzi em sua vida íntima.

"O filme foi rodado na Itália atual", quando Silvio Berlusconi era chefe de governo, disse o ator e realizador, que ironiza com frequência, em suas produções, o magnata da mídia. "Nós tínhamos nosso primeiro-ministro, seu séquito, as festas, agora tudo mudou, temos a chuva e (o primeiro-ministro Mario) Monti", prosseguiu.

Penelope Cruz, que faz o papel de uma prostituta, disse ter "adorado trabalhar com Woody Allen". "É uma surpresa todos os dias, é realmente uma pessoa particular, muito preciso com o que deseja dos atores. A personagem que interpreto é uma verdadeira joia, tanto em seu preparo quanto no seu desempenho, mesmo que eu o tenha deixado louco com as minhas perguntas", disse a bela atriz.

Alec Baldwin brincou com a imprensa, contando que nem tinha chegado a ler direito o script do filme, mas que não pode deixar de aceitar fazer o papel de arquiteto porque pensava que acabaria fazendo amor com Penelope Cruz num quarto de hotel. "Disse sim imediatamente", lançou.

"To Rome with Love" chega justamente após uma outra homenagem à capital europeia, o filme "Midnight in Paris" ("Meia-noite em Paris"), o maior sucesso comercial de Woody Allen, onde conta uma viagem imaginária a Paris dos anos 30 feita por um roteirista hollywoodiano, em crise de inspiração.

Os fãs de Woody Allen viram em sua produção parisiense sinais de uma renovação criativa do autor de filmes 'cult' dos anos 70 como "Annie Hall", Noivo Neurótico, Noiva Nervosa, e "Manhattan", comédias de costumes de fundo psicanalítico e, mais recentemente, o supreendente thriller "Match Point".

Allen Stewart Konigsberg, nascido em 1935 numa família de imigrantes judeus de Nova York, cresceu no Brooklyn. Muito jovem, escreveu piadas para artistas, depois passou a ser conhecido como autor de programas de televisão, até estrelar no cinema em 1966 com "Whats new, Pussycat ?", O que há de novo gatinha?

Carreira

Em sua carreira de meio século, Woody Allen fez mais de 40 filmes. Ouvido pela imprensa sobre seu ritmo de fazer um filme por ano, respondeu que isto "o agrada bastante". "Se não fizesse isso, ficaria sentado em casa ruminando sobre como a vida é difícil".

Em seu filme, Roma e sua mistura de ruínas e fachadas barrocas reencontra um pouco da glória, quando a Cidade Eterna servia de cenário a obras-primas como "Férias em Roma" (William Wyler, 1953) e "La Dolce Vita" (Federico Fellini, 1960).

A rodagem no verão passado sobre locais tão célebres como la Piazza de Spagna, o Coliseu e a Via Veneto despertou a febre dos paparazzi, como nos mais belos dias de "La Dolce Vita" quando se podia deparar com Audrey Hepburn ou Gregory Peck no terraço de um café.

Esses caçadores de celebridades faziam ronda no aeroporto na noite de quinta-feira, aguardando a chegada de Penelope Cruz com seu bebê Leo e a mãe, e espreitavam Baldwin e sua noiva, antes da soirée de gala, no auditório de Roma, na noite desta sexta-feira.