Publicidade
Especiais
Especiais

Apático, Leandro Guilheiro é dominado por japonês, perde e sai de Londres sem medalhas

Esta é a primeira Olimpíada da carreira em que o brasileiro sai sem nenhuma medalha. Em 2004, ele estreou com o bronze em Atenas 31/07/2012 às 10:36
Show 1
Leandro Guilheiro lamenta derrota para japonês Takahiro Nakai na repescagem
Uol/ Esporte ---

Depois de entrar como favorito ao ouro, Leandro Guilheiro sairá de Londres sem nenhuma medalha sequer. Depois de ser surpreendido na manhã londrina e sair da briga pelo título, ele foi derrotado por um yuko pelo japonês Takahiro Nakai, que vai disputar o bronze com o perdedor de uma das semifinais.

Esta é a primeira Olimpíada da carreira em que Leandro Guilheiro sai sem nenhuma medalha. Em 2004, ele estreou com o bronze em Atenas. Quatro anos depois, em Pequim, conseguiu outro bronze mesmo lutando machucado.

Desta vez, ele chegou com o ouro como objetivo principal, mas não lutou como se esperava. Contra o japonês, Leandro Guilheiro começou apático, assim como na luta anterior. Nakai não teve trabalho para dominar a pegada e tentou várias vezes coloca-lo no chão, enquanto ele apenas se desvencilhava. Como resultado, ele sofreu duas punições por falta de combatividade que se transformaram em um yuko para o rival, que decidiu o confronto aí.

Takahiro Nakai entrou no torneio como o quinto colocado no ranking olímpico e caiu diante de Ole Bischof, alemão que é o atual campeão olímpico da categoria. Nas últimas três lutas com o japonês, Leandro Guilheiro tinha vencido duas e perdido uma.

A eliminação até mesmo da disputa do bronze vem após uma manhã frustrante. Favorito ao ouro olímpico, Leandro Guilheiro venceu as duas primeiras lutas sem grandes problemas, mas foi surpreendido pelo norte-americano Travis Stevens, que ele havia derrotado na final do Pan de Guadalajara, no ano passado.

A derrota por um wazari brecou o sonho do ouro, que o colocaria como o maior judoca brasileiro de todos os tempos, à frente de Aurélio Miguel. Além disso, estendeu um jejum incômodo de Leandro, que apesar de manter-se há anos entre os melhores do mundo nunca conquistou um torneio de peso, somando até hoje dois bronzes olímpicos (2004 e 2008) e um bronze e uma prata em Mundiais (2010 e 2011).