Publicidade
Especiais
Especiais

Bois apresentam criaturas fantásticas na 2ª noite do Festival

Garantido vai retratar a Tradição do Brasil na apresentação de neste sábado (30/06) do Festival de Parintins; o Caprichoso aposta no espetáculo da “Amazônia de Muitos Amores” 30/06/2012 às 14:23
Show 1
Rituais do Xarawa e Morceanjo serão apresentados na Arena
Artur César e Paulo André Nunes Parintins (AM)

Em defesa da temática “Tradição”, o Boi Garantido fará neste segundo dia de Festival de Parintins, a partir das 20h no Bumbódromo, uma homenagem ao folclore brasileiro e a todos os mestres deste segmento do País, como o próprio Lindolfo Monteverde, fundador da associação folclórica, para dar vida ao subtema “Tradição no Brasil”.

No ano que antecede o centenário de Lindolfo, essa secularização não poderia passar despercebida, diz o coordenador da Comissão de Arte, Fred Góes, destacando as influências de afirmação do boi-bumbá, como os folguedos dos Estados do Nordeste, como o bumba-meu-boi, e de Alagoas, Goiás e Paraná, onde existe a Carvalhada, que lembra as disputas entre cristãos e mouros.

A finalidade é que o Boi Garantido celebre a alegria, a paixão e a emoção de brincar de boi-bumbá no “País do Folclore”. A primeira alegoria a entrar na arena do Bumbódromo logo mais é a celebração folclórica “No País do Folclore”, confeccionada pelos artistas Jonathan Marinho e José Trindade e suas equipes. Nela, estarão a representação da Carvalhada e dos batuqueiros do Boi Garantido, num conjunto folclórico que se consolida como uma das grandes apostas deste segundo dia.  A segunda alegoria, da Lenda Amazônica, trará a “Naruna das Amazonas”, de Roberto Reis e equipe, abordando nada menos do que uma das mais conhecidas e tradicionais crendices da Amazônia.

Um ato esperado do Garantido, como Figura Típica Regional, será a entrada em cena da gigantesca alegoria “O Pescador”, do artista Jairzinho Mendes e equipe, que entrará em cena tendo como fundo musical a toada “O Caboclo e a Canoa”, de autoria de Demétrios Haidos, Geandro Pantoja, Naferson Cruz e Leandro Souza, uma das mais bonitas desta temporada.

O Garantido vai encerrar a segunda noite com o “Ritual Yanomami”, de Júnior de Souza e equipe, enfocando os Xarawa, seres maléficos que são despertados com as agressões contra a natureza

Caprichoso

O Boi Caprichoso entra na arena neste segundo dia de apresentações apostando no espetáculo da “Amazônia de muitos amores”. A expressão desse amor vem da nossa contagiante diversidade cultural e do amor à vida representado pelo sacro ofício das caboclas parteiras da Amazônia.  

Segundo o apresentador Junior Paulain, o Touro Negro vem exaltando a sustentabilidade, por meio do uso de materiais que primam pelo reaproveitamento. “O amor do parintinense pela Amazônia é a inspiração de nossa arte”, explica o apresentador. Com a cultura indígena refletida na lenda de Morceganjo, na qual o povo Maraguá luta com homens-morcego para manter a harmonia da vida na aldeia. A alegoria de autoria do artista Rossy Amoedo é uma das apostas do Azul para deixar os expectadores extasiados.

Os compositores Maurício Filho e Ademar Azevedo destacam que a história da criatura retrata a lenda da tribo dos índios Maraguá, atormentados com o ataque de criaturas metade homem metade morcego, com asas no meio das costas, dentes pontudos e língua de cobra. Somente a jovem cunhã-poranga, filha do pajé Wasiry, pode derrotar as criaturas. Uma batalha apoteótica é esperada. “Vamos buscar o diferencial”, adianta Rossy.