Publicidade
Especiais
Especiais

Bois em miniaturas impressionam com o seu realismo

Nessa celebração, os “boizinhos” duelam por duas noites na Praça dos Bois. Este ano, o Caprichoso que detém cinco títulos do evento e é o atual campeão, virá com o tema “Amazonas ontem, hoje e sempre” 26/06/2012 às 15:59
Show 1
Nessa celebração, os “boizinhos” duelam por duas noites na Praça dos Bois
Nathália Silveira Parintins (AM)

O espetáculo foi minimizado, mas de forma alguma deixa de ser vibrante e cativante. Assim é o Boi Bumbá Miniatura, que acontece no final do mês de agosto em Parintins, e recria a festa das nações azul e vermelha em pequenas dimensões, tal qual as apresentações no Bumbódromo, com todos os itens que já são conhecidos e amados pelas torcidas.

Nessa celebração, os “boizinhos” duelam por duas noites na Praça dos Bois. Este ano, o Caprichoso que detém cinco títulos do evento e é o atual campeão, virá com o tema “Amazonas ontem, hoje e sempre”.

Enquanto o Garantido, que soma quatro vitórias, apresentará o “Exalta Parintins”. Enquanto o festival não chega, os bumbás continuam investindo em pesquisa e na confecção de seus itens para brilhar no tão esperado dia.

Para o Festival, as crianças e jovens são as principais mãos de obra, dando forma e movimento aos módulos do Pajé, Porta-Estandarte, Sinhazinha da Fazenda, Rainha do Folclore, Vaqueirada, entre outros. Os itens de apresentador, levantador e marujada são os únicos que não são apresentados como miniaturas, e sim interpretados por crianças. Para o festival, os desafiantes têm de estar  de acordo com as  dimensões  exigidas para o evento.

A arena deve medir  3 metros de largura, por 2,5 de fundo. Além disso, as alegorias devem respeitar o tamanho de 1,5 metro e ao evoluir não podem passar de 3 metros de altura. Enquanto os itens chegam no máximo a 35 centímetros.

A confecção do Caprichoso para o Boi Miniatura é concentrada na Escola de Artes Irmão Miguel de Pascoale, onde 30 desenhistas colaboram e são voluntários para colocar o azul de pé. “Tudo o que o Caprichoso usa no Festival, nós reutilizamos no Boi Miniatura. Nada sobra.

Assim, constituímos o verdadeiro folclore. Pois ensinamos e trabalhamos com crianças e jovens carentes, fazendo um trabalho social. Valorizando nosso povo, cultura e tirando da raiz o nosso melhor”, considerou o presidente do Mini Caprichoso, Aldenílson Batista.

De acordo com ele, 80% dos jovens que trabalham no boi bumbá miniatura são recrutados para várias partes do País, principalmente Rio e São Paulo, levando sabedoria e ensinamento parintinense a outros eventos. “Somos os únicos a conseguir fazer um teatro de fantoches na horizontal”, afirmou Batista.

Com a temática “Exalta Parintins”, o boi vermelho pretende abordar uma das principais lendas que ronda a ilha tupinambarana, o Pretinho do Campo Grande. A casa do boi do povo, o Galpão do Garantido,  começa a  pegar fogo a partir  de julho, com os ensaios e confecções dos materiais

De acordo com o presidente do vermelho, Omiro de Alcântara, o boi miniatura surgiu com o Garantido na década de 90, e era uma apresentação comum no quintal das casas dos fanáticos. “O Garantido foi o primeiro boi a fazer, e depois veio o Caprichoso”, disse Alcântara.

O miniatura da baixa do São José recebe convites para se apresentar  em outros municípios,. Final do ano eles estarão em Pedras, a 70 quilômetros de Parintins.   “É um sucesso. Queremos  ser  vistos e expandir nosso trabalho”.