Publicidade
Especiais
Especiais

Campanha quer derrubar proibição de levar garrafa para a arena dos bumbás de Parintins

Um movimento de moradores de Parintins quer por um fim à proibição de levar água em garrafas plásticas, para o Bumbódromo, durante o festival 27/06/2012 às 18:29
Show 1
Vereador de Parintins Mateus Assayag
Florêncio Mesquita Parintins (AM)

Um movimento de moradores de Parintins quer por um fim à proibição de levar água em garrafas plásticas, para o Bumbódromo, durante o festival. A iniciativa denominada “Diga não! À proibição de levar água na galera do Bumbódromo, o povo que assiste de galera é humilde e precisa de água”, está ganhando força nas redes sociais Twitter e Facebook com dezenas de comentários e compartilhamentos.

Até um abaixo-assinado está sendo feito na frente dos currais dos bumbás Garantido e Caprichoso para recolher assinaturas contra a proibição. O autor do manifesto é o vereador Mateus Assayag. Ele defende a liberação da entrada de água por entender que o público que assiste ao espetáculo na arquibancada geral (gratuita) sofre uma série de dificuldades, além de constrangimento para entrar no Bumbódromo com qualquer alimento.

Segundo o vereador, as filas para entrar na arena começam às 10h da manhã e as pessoas ficam expostas ao sol e a chuva durante aproximadamente dez horas até a liberação dos portões e início da apresentação dos bumbás. Quando as pessoas, sob forte calor, chegam à portaria da arena são obrigadas a deixar água, refrigerante e alimentos.

Para Assayag, a proibição é uma falta de respeito com o público que é item obrigatório na composição do espetáculo. “As pessoas fazem parte da apresentação dos bumbás, contam pontos no julgamento e são privadas de atender uma necessidade básica que é a sede”, disse.

Conforme Assayag, a situação se agrava porque o público que consegue um lugar na arquibancada não tem como descer para comprar água nos únicos pontos de venda, sob risco de perder o acento. Outro agravante apontado pelo parlamentar, além da restrição de compra de água apenas no Bumbódromo, é o preço inflacionado dos produtos. Uma garrafa pequena de água que fora da arena custa R$ 1, passa para R$ 3 ou R$ 4 no interior. O vereador pretende entregar o abaixo-assinado ao governador do Estado.

Ingressos serão alvo

Os preços abusivos praticados no Bumbódromo durante o festival também serão alvos de uma ação da Comissão de Defesa do Consumidor da Câmara Municipal de Parintins (CMP).

O vereador Mateus Assayag, presidente da Comissão, afirma que os preços são inflacionados pelas empresas que visam apenas o lucro. O preço acima do praticado no mercado local dias antes do festival é considerado pelo parlamentar uma irregularidade contra o Código de Defesa do Consumidor.

Segundo o vereador Mateus Assayag, não há como alcançar um desfecho da ação até a realização do festival, mas os trabalhos da comissão serão iniciados na CMP para apurar a irregularidade. Ainda não há previsão de quando os resultados serão apresentados pelos membros da Comissão de Defesa.