Publicidade
Especiais
Especiais

Chegou a hora

O Festival Folclórico de Parintins é um espetáculo grandioso que encanta visitantes 29/06/2012 às 20:23
Show 1
Cunhã-poranga do Caprichoso, Maria Azedo e Cunhã-poranga do Garantido, Tatiane Barros
Artur César e Paulo André Nunes Parintins (AM)

Defendendo o subtema “Brasil de todas as cores”, o Boi Bumbá Caprichoso entra hoje na arena fazendo uma exaltação à diversidade cultural do povo brasileiro. O Touro Negro promete uma verdadeira viagem por diversas regiões do País, mostrando um pouco de suas manifestações culturais. A ciranda, a roda de capoeira, as pastorinhas e as danças indígenas são algumas expressões artísticas apresentadas ao público nesta noite de abertura.

Com a participação de quase 600 figurantes, o Caprichoso também faz festa para celebrar o retorno de duas figuras importantes para o Boi: Jeane Beloniel e Juarez Lima. Enquanto a primeira entrou às vésperas do festival para substituir a ex-porta-estandarte Karyne Medeiros, o artista plástico volta depois de um ano afastado do azulado.

Retorno


Juarez é o responsável pela principal alegoria deste primeiro dia de apresentações do Boi. “Viva o povo brasileiro!” vai mostrar o Brasil multicultural, manifestado na música, na poesia, na dança, na religiosidade, nos mitos e lendas. “Onde essas manifestações podiam brilhar, irradiar alegria, felicidade? Na estrela do Caprichoso. Tenho a honra de abrir o festival para o meu Boi. Cada módulo desta alegoria tem uma dinâmica de apresentação, simples, mas que vai tocar por sua representatividade”, assegura Juarez. No caso da nova porta-estandarte, Jeane promete levantar a galera, que promete não medir esforços para apoiá-la na arena.

Na lenda amazônica, o Caprichoso traz uma figura que mexe com o imaginário popular: o curupira, um protetor da floresta e dos animais, que afugenta os caçadores que não respeitam as leis da natureza. A alegoria tem dois momentos: num primeiro é figura típica regional, quando representa o farinheiro da Amazônia e trazendo vários itens do bumbá. Em um segundo momento, ela se transforma totalmente para lenda, com o surgimento do grande curupira.

No ritual Maï Marakã, o artista Rossy Amoêdo faz uma alusão a um rito de um canibalismo celestial, quando o pajé Waldir Santana, ao transformar as almas dos índios, vai ter  uma visão da própria morte. Fumando tabaco e empunhando o seu maracá, o grande pajé é o intermediário entre o humano e o sobrenatural.     

A Arena vai ferver


Nem a enchente deste ano, que forçou a saída das alegorias mais cedo do que o previsto do seu galpão para as ruas, nem tampouco os problemas financeiros tiraram o ânimo do Boi Garantido para abordar, este ano, o tema “Tradição” no 47º Festival Folclórico de Parintins. Neste primeiro dia, o subtema a ser retratado será a “Tradição de Parintins”. E se o assunto é esse, então nada melhor do que personificá-lo pela família do fundador do boi, Lindolfo Monteverde, já -falecido, que será representado por sua filha, Maria do Carmo Monteverde, de 74 anos, e João Batista Monteverde, 72, que estarão hoje caracterizados como ritmistas da Batucada. O apresentador do boi, Israel Paulain, fará uma homenagem a eles, no que deve ser um dos momentos mais emblemáticos e emocionantes deste festival.

“Tenho muito orgulho do meu pai porque ele é um ídolo de Parintins. Ele criou o Garantido após brincar com o coroatá de inajá como se fosse um boizinho. Confio em Deus que seremos bicampeões do festival”, disse Maria do Carmo, emocionada, que recentemente fez uma cirurgia de visão.

Outro momento marcante será a alegoria “Romeiro da Fé”, do artista Junhão, simbolizando o item Fígura Típica Regional, que promete causar impacto no Bumbódromo com a imagem de Nossa Senhora do Carmo, padroeira de Parintins e símbolo maior da religiosidade parintinense.

Além disso, o Garantido terá uma surpresa aérea para esta primeira noite que está guardada a sete chaves pela sua comissão de arte e presidência.

Em 2005, o próprio Boi Garantido, encarnado pelo seu tripa Denildo Piçanã, surpreendeu a todos os seus torcedores, e principalmente do Caprichoso, ao chegar em um balão a gás. A marcante cena contribuiu muito para que o vermelho e branco conquistasse o título daquele ano.

“O Garantido vem impactante para esta primeira noite de Festival de Parintins”, informa Telo Pinto, presidente da associação folclórica. O boi fará um espetáculo pulsante e vibrante nestes três dias para abordar o tema “Tradição”, ressalta o coordenador da Comissão de Arte do boi, Fred Góes.  Portanto, olhos vivos que vem surpresa por aí.