Publicidade
Especiais
Especiais

Crianças parintinenses acalentam intenção de ser item oficial

Dançar com um boizinho de pano em miniatura é uma brincadeira parintinense de muitas crianças de ontem, hoje e sempre. E acalentar o sonho de ser um item oficial das associações folclóricas, também 01/07/2012 às 15:28
Show 1
Ronan Carneiro, 6 anos, e o seu boizinho Garantido de pano, em evolução no Bumbódromo
Paulo André Nunes Parintins (AM)

Dançar com um boizinho de pano em miniatura é uma brincadeira parintinense de muitas crianças de ontem, hoje e sempre. E acalentar o sonho de ser um item oficial das associações folclóricas, também. O pequeno Ronan Carneiro, 6, tem essas duas intenções. Foi com essa disposição que ele esteve nos ensaios técnicos do Boi Garantido e, durante essa semana, no Bumbódromo, brincou alegremente na passagem de som da associação folclórica junto com sua mãe, Silvane Carneiro.

No passado, paralelo à promessa que fez a São João Batista, para curá-lo de uma enfermidade aos 7 anos de idade, o pescador e trovador Lindolfo Monteverde já brincava com seu boizinho de curuatá de inajá antes de criar a associação folclórica Boi-Bumbá Garantido.

Hoje, Ronan Carneiro não é item oficial da associação folclórica, mas sim do Boi Estrelinha, do bairro São Benedito, no lado vermelho da cidade, onde há três anos sai junto com os ritmistas, com muita alegria e orgulho, sim senhor.

Esse ano ele não foi campeão do Festival de Bois Mirins – o Estrelinha perdeu para o Boi Tupi. Mas sem problema. A vida continua, ele tem tempo para isso. E ele quer mais é curtir esse momento. Quem sabe um dia, no futuro,  não chega a hora de ser o substituto de feras como Denildo Piçanã, tripa oficial do Boi Garantido?

“Gosto mais de mexer com a cabeça do boizinho”, fala o menino que tem paixão pelo Boi da Baixa do São José.

“Ele tem boizinhos de pano desde pequeno. Esse que ele brinca é o segundo. O Ronan gosta de acompanhar os ensaios e passagens de som do boi”, diz sua mãe Silvane Carneiro.

Lembrando do primeiro parágrafo deste texto, as crianças de sempre, como todos os amantes do boi, voltam à infância para brincar com o seu boi-bumbá preferido, com a diferença de terem, além do sol do dia, o luar para se inspirar também pelo seu boi do coração ou da estrela.