Publicidade
Especiais
Especiais

Ex-levantador e apresentador do Boi Caprichoso abre o verbo sobre sua saída do bumbá

Ex-item do boi Azul conta tudo sobre a sua saída do Caprichoso e afirma que está pronto para voltar. Ele também revela que tem uma boa relação com a presidente da associação, Márcia Baranda 27/06/2012 às 11:15
Show 1
O Ex levantador de toadas do caprichoso não lançava um CD desde 2007
Artur César Parintins 2012,

Prestes a lançar um novo CD  intitulado “Arlindo Jr. - O pop da selva”, o ex-levantador e apresentador do Boi Caprichoso aproveita para abrir o verbo sobre sua saída do bumbá, em 2007,  e pedir desculpas à presidente da agremiação, Márcia Baranda, por não tê-la apoiado na eleição de 2010. Arlindo diz estar à disposição para voltar a defender o Touro Negro na arena. “Estou pronto para ajudá-la (Baranda) a fazer um Caprichoso campeão, grandioso”, afirma o ex-item. A seguir a entrevista completa com Arlindo Jr.:   

O que aconteceu para você sair do Caprichoso?

Eu não sai, me tiraram.  Mas essa é uma boa pergunta, porque eu também gostaria de saber os motivos. Soube do meu afastamento por intermédio da rádio. Dizem que é porque eu estava acabado, não tinha voz. Não tenho problema nenhum de  voz, nunca tive. Aconteceram alguns problemas e todo mundo sabe o quanto eu me dedicava ao Boi, até demais, porque não pensava no Arlindo Jr. como cantor.  Sempre me doei ao Caprichoso. Sou um apaixonado pelo Azul.

Então não há chance de um dia você vir a defender o Boi Garantido?

Eu sei que seria muito bem aceito por parte da torcida do Garantido, mas tanto a torcida do Caprichoso quanto a do Garantido não iriam entender.  Eu não me vejo de vermelho. Eu sou Flamengo, nunca vou ser Vasco. Outra coisa, se não me aceitam totalmente num lugar dificilmente eu permaneço, tanto é que não fiz questão de ficar no Caprichoso, já que tinha uma parte pequena da torcida querendo que eu saísse. Não lutei para ficar no Boi, mas a partir do ano que vem é outro momento. Aproveito para me deixar à disposição do Bumbá. Seria uma honra para mim voltar a ser um item. O Boi é minha cachaça. Eu sofro muito quando estou lá e não estou na arena. Ainda posso ajudar muito o Caprichoso. Tenho muitas ideias e força de vontade. Estou bem, em todos os sentidos.

Correram uns boatos em Parintins que você poderia retornar ainda este ano, até como sendo o substituto do apresentador Junior Paulain. Isso tem algum fundo de verdade?

Foi só boato, nunca ninguém da diretoria me falou nada. Isso não existe. 

Como está a sua relação com a presidente do Bumbá, Márcia Baranda?

Minha relação é boa, gosto muito dela, da família dela. Tenho o maior respeito. Ela me ajudou muito na minha carreira. Tenho um carinho enorme pelas filhas dela. Inclusive uma delas já foi presidente do meu fã clube. Ela já brigou muito por mim, porque no Boi é assim, você tem sempre que estar provando alguma coisa. Sei que pela Márcia Baranda não teria problema em voltar, muito pelo contrário.  Estou pronto para ajudá-la a fazer um Caprichoso campeão,  grandioso. Tenho uma dívida de gratidão com ela. Na eleição passada não a apoiei, mas ela sabe o motivo. Tinham outras pessoas que me tiraram do Boi e estavam apoiando a candidatura dela. Queria de público aproveitar para pedir desculpa a ela e a toda a sua família. Mas espero que um dia ela entenda, porque foi uma posição minha. Eu sou assim.

Você quer dizer que existe caça às bruxas dentro do Caprichoso?

Eu não posso te dizer assim, mas o que vejo de fora é que no Garantido, quando acaba a eleição, eles podem até ter brigado, mas se unem para fazer o melhor pelo Boi. Isso é muito legal. Eu gostaria que no Caprichoso fosse assim. Acho que a Márcia Baranda até procurou fazer isso, mas infelizmente o Boi está muito complicado, muito rachado.  Temos que melhorar isso para ficarmos mais fortes e fazer com que o nosso boi ganhe mais títulos. O Caprichoso só perde para ele mesmo.

Você está prestes a lançar um novo trabalho. Qual a linha que seguiu?

Esse novo CD, chamado “Arlindo Jr. - O pop da selva” é mais dançante. Foi feito para as galeras. Com toadas tanto do Caprichoso quanto do Garantido, ele conta inclusive com a participação das duas galeras. Com esse trabalho eu quero levar a nossa música para fora do País. Já estou em contato com o pessoal de Portugal. Os meus dois CDs mais recentes serão lançados internacionalmente. Vamos tentar ganhar a Europa.