Publicidade
Especiais
Especiais

Fiam completa dez anos

Para cada R$ 1 real aplicado  na realização da feira, há um retorno de R$ 2,06 em novos negócios e investimentos. Próxima edição será em 2013, no novo Centro de Convenções 30/09/2012 às 20:41
Show 1
FIAM completa dez anos
Jornal A CRITICA Manaus (AM)

A Feira Internacional da Amazônia (Fiam) acaba de completar dez anos e se consolida como uma ferramenta eficiente para atração de investimentos e geração de negócios. Segundo a Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa), com base em dados da edição de 2011, para cada R$ 1 real investido, há um retorno de R$ 2,06, além do benefício social com a realização de seminários e debates, e o aquecimento de atividades como turismo e serviços.

Trata-se do maior evento voltado para atração de investimentos do Norte do País, figurando nos calendários dos ministérios do Planejamento, Indústria e Comércio Exterior, e de Ciência e Tecnologia.

A Fiam foi criada na gestão do superintendente Ozias Monteiro, em 2002. A ideia era criar uma grande vitrine que não se limitasse aos produtos mais tradicionais da ZFM - eletrônicos, motocicletas e afins - mas abrisse espaço para produtos naturais, artesanato, biojoias, turismo e alimentos, por exemplo.

Evento bianual, até 2008 a Fiam era realizada em anos pares. Mas a eventual coincidência com anos eleitorais fez a organização da feira mudar a realização para anos ímpares. Por isso, a quarta e a quinta edições do evento ocorreram em anos consecutivos, em 2008 e 2009, respectivamente.

Em dez anos, foram realizadas seis edições. De lá para cá, o evento cresceu tanto que a cidade quase já não o comporta. Até o ano passado, a feira foi realizada no Studio 5 Centro de Convenções. Mas a próxima edição, que ocorrerá em 2013, exigirá um espaço maior para abrigar stands de novos segmentos.

O coordenador do Núcleo de Promoção Comercial da Suframa, Jorge Vasques, espera que até o segundo semestre de 2013 o novo centro de convenções – que será erguido ao lado da Arena da Amazônia – já esteja concluído para abrigar o evento.

Entre os novos segmentos que serão contemplados na 7ª Fiam está o polo naval. “Ele será priorizado, juntamente com o Governo do Estado. Como será um ano de pré-Copa, empresas de turismo e hotelaria devem fechar pacotes”, disse Vasques.

O modelo adotado até agora será mantido, com áreas para exposição, rodadas de negócios, seminários, palestras e eventos paralelos. “A Fiam tem cumprido sua finalidade, que é mostrar nossas potencialidades e produtos, temos trabalhado com essa bandeira e tem-se mostrando ser correto”, avalia o coordenador.