Publicidade
Especiais
Especiais

Filhos do contrário em Parintins

Em quase todas as famílias de Parintins existem filhos que trocam de boi, mas essa “traição” não é motivo de brigas. As famílias sempre entendem a decisão 28/06/2012 às 14:12
Show 1
Filho do contrário. Famílias levam na boa as trocas
Mariana Lima e Jonas Santos Parintins (AM)

Em quase todas as famílias de Parintins existem filhos que trocam de boi, mas essa “traição” não é motivo de brigas. As famílias sempre entendem a decisão

É comum dizer em Parintins que os nascidos na cidade possuem apenas duas escolhas: ser Caprichoso ou ser Garantido. A tradição nas famílias é tão forte que em algumas casas da ilha é possível ver as paredes, móveis e roupas todas em azul ou vermelho. Assim como nas famílias não-parintinenses há sempre uma “ovelha negra”, na ilha dos bumbás há os “filhos do contrário”, pessoas que nasceram no berço de um boi, mas se descobriram apaixonados pelo outro.

Com o estudante Leandro Batista (17), atual apresentador do boi Caprichoso-mirim, não poderia ser diferente. Filho de dois empresários fanáticos pelo Garantido, Leandro diz que até tentou torcer pelo boi vermelho e branco para agradar a mãe, mas não conseguiu: “Logo que nasci, quando muito pequeno, ia para o curral do contrário com minha mãe, mas lá eu não me sentia bem. Ia muito chateado para os ensaios”.

Leandro, considerado umas das revelações da escola de artes do Caprichoso, afirma que apesar do fanatismo em casa não recebeu nenhum tipo de preconceito dos pais que não perdem nenhuma apresentação do filho pelo boi azul e branco. “Apesar de tudo eu tenho apoio, não tive aquela discriminação que muitas pessoas tiveram. Eles perceberam que o Caprichoso é o meu futuro e aceitam muito bem isso”.

 

Contrário

O garoto Adam Rizatti tem três anos de idade mas já é um verdadeiro perrexé da Baixa. Ele mora na rua Cordovil, reduto tradicionalmente azul, com os avós e praticamente manda na casa. Adam obriga a família, que é aficcionada pelo Caprichoso, a assistir com ele todo o DVD do Garantido de cabo a rabo. E mais o menino sabe cantar toadas antológicas e o repertório do CD Tradição.

Os avós que Adam chama de pai é Aderaldo Reis e Sandra. “O Sebastião Junior é meu amigo”, diz o garoto. A família conta que o pequeno torcedor vermelho é fã incondicional do levantador do Garantido. Na casa ele, inclusive, o imita cantar.

No dia 24 de junho, dia de São João, quando o Garantido saiu às ruas Adam só foi dormir depois que o Garantido passou na avenida Amazonas, na esquina de sua casa. “Ele só se conforma quando pegar no coração do boi, que ele chama de emoção”, fala Aderaldo. Nesta noite o menino todo arrumado de vermelho, fez carinho no rosto do boi, mas não pegou no coração, porque o Garantido fez parada rápida e desabou no choro. Adam é que anima a casa e faz a maior festa com uma bandeira que guarda com o maior carinho.