Publicidade
Especiais
Especiais

Gargalos e confusão nas ruas de Manaus

Intervenções não vêm sendo suficientes para dar fluidez ao sistema viário da cidade 19/04/2012 às 09:40
Show 1
Problemas do trânsito caótico parece estar longe de ser equacionado na cidade
Jornal a crítica ---

Problema do trânsito caótico parece estar longe de ser equacionado na cidade Apesar das intervenções no sistema viário da cidade, como construções de viadutos e passagens de níveis nos últimos anos, Manaus continua com gargalos e falta de fluidez no trânsito. Horários de pico são sinônimos de retenção, perda de tempo, estresse, e soluções definitivas e eficazes, e o “choque de ordem” parece estar longe de serem encontrado pelas autoridades. Semáforos descoordenados ou apagados, falta de estacionamento, ausência de radares, ocupação de calçadas e a falta de preparação de agentes de trânsito ajudam aumentar a lista do trânsito caótico na cidade. “Eu achava que, com as intervenções que foram realizadas, conseguiria fazer o trajeto em 30 minutos, mas passei mais de uma hora e perdi meu horário de aula”, disse o professor Cláudio Melo, 40, morador do bairro Dom Pedro, Zona Centro-Oeste, que se desloca todos os dias à Universidade Federal do Amazonas (Ufam), localizada na Zona Sul.

Frota

Com uma frota estimada em 542,6 mil veículos, a cidade fica praticamente paralisada nos horários de rush, provocando a intervenção dos manauenses na organização do caótico trânsito. “Eu defendo a ideia de que a avenida Djalma Batista seja mão única, com ou sem meio fio. Mas os semáforos que estão depois da passagem de nível da avenida Darcy Vargas teriam de estar coordenados”, disse o mototaxista Valdemir Ribeiro, um dos que sente na pele, diariamente, os problemas viários.

As faixas de pedestres da cidade, realçadas com a cor vermelha, foram inspiradas no sistema de faixas utilizados em Miami (EUA). Mas, na cidade do “Tio Sam” foram implantados dois semáforos, destinados a motoristas e pedestres. Em Manaus é bem diferente, com o pedestre tendo que sinalizar com a mão para atravessar a via, seguindo as orientações da campanha “Tô na Faixa”. Hoje, muita dessas faixas estão praticamente apagadas. Para o especialista em Planejamento de Transporte, Geraldo Alves de Souza, o problema vai continuar existindo. “Não há projetos pensados para o futuro, e sim eleitoreiros, que tentam passar uma ideia de organização nas vias”, afirmou ele, preocupado com a situação.

Em números
542,6 mil
É a frota estimada de veículos da cidade de Manaus a cidade fica praticamente paralisada nos horários de rush, provocando a intervenção dos manauenses na organização do trânsito e a conseguente dor de cabeça dos usuários do sistema.
R$ 56,3 Milhões
Custou o viaduto da Bola do São José, que fica localizado no bairro de mesmo nome, na Zona Leste. A obra, inaugurada em março deste ano, foi erguida em 17 meses após um atraso de seis meses.

Veja o debate completo na edição especial do Jornal A Crítica desta quarta-feira.