Publicidade
Especiais
Especiais

Klabin é o empresário da boa gestão

Klabin entende de papel, celulose, pecuária e de respeito ao meio ambiente. A apresentação dele está agendada para sábado (24), às 10h 22/03/2012 às 12:32
Show 1
Roberto Klabin foi empresário no setor de papel e celulose (Klabin) e fundador da SOS Mata Atlântica. Hoje é conselheiro da Klabin e presidente da SOS Mata Atlântica
Jornal A Crítica Manaus (AM)

Empresário do setor de papel e celulose, pecuarista e ambientalista. Roberto Klabin é um dos raros casos em que atuações aparentemente distintas podem dar certo. Pioneiro em gestão de sustentabilidade, Klabin é presidente há 25 anos da Fundação SOS Mata Atlântica e da Fundação SOS Pantanal.  Ele consta da programação de palestrantes do 3º Fórum Mundial de Sustentabilidade, que começa hoje. A apresentação dele está agendada para sábado (24), às 10h.

Também faz parte dos conselhos consultivos da Conservation International do Brasil; da Renctas (Rede Nacional de Combate ao Tráfico de Animais Silvestres) e do Instituto Econsenso e do Funbio (Fundo Brasileiro para a Biodiversidade).

Formado em Direito pela Universidade de São Paulo, com especialização em Administração de Empresas pela Universidade Mackenzie, também integra conselhos administrativos como da empresa de papéis Klabin S.A. e do Hospital Israelita Albert Einstein.

Roberto Klabin é um dos maiores críticos das mudanças defendidas pelo setor agrícola. Para ele, em declarações dadas à imprensa nacional, as mudanças não visam tornar mais moderno o código, mas favorecer um setor apenas, o do agronegócio. Klabin acredita que a proposta é criar um código agrícola e não um código florestal.

Em 2011, lançou a Expedição SOS Pantanal com o objetivo de mapear as boas práticas ambientais no ecossistema da região. O objetivo é reconhecer projetos que desenvolvem a sustentabilidade na região da Bacia do Alto Paraguai.

O mapeamento começou no refúgio Ecológico Caiman na cidade de Miranda, pertencente a Roberto Klabin. No local, Klabin realiza atividades desenvolvimento sustentável. O mapeamento será encerrado na Serra do Amolar e o Parque Nacional do Pantanal (Poconé, MT).