Publicidade
Especiais
Especiais

Seleção masculina de vôlei estreia sem sustos e faz 3 sets a 0 na fraca Tunísia

Com Bruninho de titular e Giba entrando para pegar ritmo de jogo, a seleção de Bernardinho atropelou a seleção africana, muito mais fraca que o time verde-amarelo 29/07/2012 às 18:47
Show 1
Seleção masculina de vôlei enfrenta a Tunísia na estreia em Londres
Gustavo Franceschini/UOL ---

O Brasil não deu chances para o azar e venceu sem sustos a Tunísia por 3 sets a 0 (25-17, 25-21 e 25-18) em sua estreia nos Jogos Olímpicos. Com Bruninho de titular e Giba entrando para pegar ritmo de jogo, a seleção de Bernardinho atropelou a seleção africana, muito mais fraca que o time verde-amarelo.

A vitória com folga era importante para o Brasil em termos de classificação. A equipe de Bernardinho está no grupo B, ao lado de Estados Unidos, Sérvia, Rússia e Alemanha. No fim da primeira fase, quatro times avançam e o posicionamento define os adversários das fases seguintes.

O jogo de estreia, no entanto, não permite grandes avaliações da seleção, que teve seu pior desempenho na Liga Mundial na gestão de Bernardinho, mas passou três semanas enclausurada no CT de Saquarema, preparando-se para Londres. A Tunísia, inexperiente, errou 23 pontos e deu praticamente um set inteiro ao Brasil.

Para a equipe verde-amarela, somente a segunda parcial teve alguma dificuldade. No início do jogo, o Brasil abriu certa vantagem desde o início e venceu por 25 a 17 sem grande esforço. No set seguinte, Bernardinho agitou a torcida ao colocar Wallace e, principalmente, o veterano Giba.

Mesmo longe do seu auge técnico, o ponteiro mostrou que ainda é uma referência da seleção e foi ovacionado, ainda mais depois da lesão de última hora que teve. Recuperado da contratura na coxa direita, ele usou o jogo para entrar em ritmo de jogo. Uma vez em quadra, foi pouco acionado e não tão preciso nas horas necessárias, mas também não comprometeu.

Apesar da Tunísia ter endurecido um pouco mais o jogo, o Brasil fechou o segundo set por 25 a 21 sem sobressaltos, e foi para a parcial definitiva com os rivais praticamente entregues. Com Ricardinho na vaga de Bruninho a maior parte do tempo, a seleção sobrou e fechou com um 25 a 18. Se pôde comemorar a vitória na estreia, o time pode levar como alerta o número de erros: 21, quase o mesmo que fizeram os africanos.