Publicidade
Especiais
Especiais

Turista que chega em Parintins (AM) sofre com a falta de sinalização

As placas de trânsito que deveriam auxiliar o tráfego de veículos e pedestres estão apagadas ou quebradas, possibilitando o aumento do número de acidentes 21/06/2012 às 15:51
Show 1
As placas de sinalização perderam a cor devido a ação natural de sol e chuva
Mariana Lima Parintins

Há um pouco mais de uma semana do início das três noites de espetáculo do 47º Festival Folclórico de Parintins, o turista que não conhece a ilha e pretende alugar um carro ou moto para se transportar pela cidade enfrentará dificuldades. A cidade, que recebe mais de 70 mil visitantes durante o festival, não possui placas de sinalização de trânsito. A falta desses objetos na rua pode propiciar o aumento do número de acidentes, que somente ano passado, vitimou 441 pessoas.

Segundo o Departamento Estadual de Trânsito (Detran) apenas em 2011 cerca de 441 pessoas foram vítimas lesionadas durante acidentes de trânsito em Parintins e quatro pessoas morreram apenas durante a época do festival folclórico. A falta de  eficaz deste ano tende a aumentar o número de acidentes na ilha.

A Prefeitura de Parintins confirma que não possui verbas o suficiente para reorganizar a sinalização do trânsito e que as placas só serão reformadas, possivelmente, a partir de 2013.

Velhas ou sem cor, as placas de identificação espalhadas pelas principais ruas de Parintins não auxiliam a locomoção do turista que não conhece a ilha. As sinalizações verticais (placas e semáforos) e horizontais (pinturas nas vias) se tornaram ineficiente aos motoristas e motociclistas devido a ação natural do sol e chuva, propiciando possíveis acidentes e confundido a cabeça do turista que opta pelo conforto de alugar seu próprio veículo.

O titular da Secretaria Municipal de Obras, Lucas Dias, afirma que o município não possui recursos para reorganizar a sinalização das vias e que solicitou verbas do Governo Estadual para reordenar a sinalização em áreas críticas da cidade: “Nós solicitamos uma parceria para a revitalização de toda a sinalização horizontal, que é a parte pintada, e também dos semáforos. Já estamos próximos ao festival, mas ainda estamos aguardando a liberação da verba. Não sei se estaremos 100% prontos até o Festival, mas devemos receber esta verba em breve”, afirma.

Sobre as placas de revitalização das placas verticais de sinalização, tanto de identificação das ruas como da direção dos pontos turísticos, serviços e prédios municipais, o secretário afirma que não há projetos para a reforma desses objetos neste ano: “Nós não estamos cuidado disso agora porque a Prefeitura não possui, neste momento, verba para trabalhar isso. O que vamos fazer é a recuperação dos semáforos e pintar as principais avenidas da cidade”.

A falta de verba, segundo a prefeitura, se dá devido a queda de mais de 40% do repasse de verbas, além da distribuição de ajuda para as famílias afetadas pela cheia do rio Amazonas: “A cheia que afetou nossa cidade é uma situação atípica, mas que tivemos que escolher quais seriam nossas prioridades”, explica. Segundo Dias há projetos de sinalização para toda a cidade, dentro da Secretaria de Turismo, onde os recursos estão sendo solicitados pelo Governo Federal. “Eu não sei se esses recursos serão repassados ainda este ano, mas acredito que até o Festival do ano que vem estes problemas estarão resolvidos”, completa.

Enquanto os recursos federais não são liberados, os turistas que chegam à cidade contam com o auxílio do povo hospitaleiro que não se nega em dar orientações e apontar os melhores caminhos para chegar aos pontos turísticos da ilha.