Publicidade
Carnaval
MANGUEIRA

Ciganerey da Mangueira faz show na quadra da G.R.E.S. Vitória Régia nesta quarta (17)

Sede da agremiação ficará “duplamente verde rosa” com shows dos intérpretes oficiais das escolas de samba carioca e da amazonense 17/01/2018 às 10:27 - Atualizado em 17/01/2018 às 13:48
Show content ciganerey2
Foto: Divulgação
Paulo André Nunes Manaus (AM)

A quadra da Vitória Régia vai ficar duplamente verde e rosa nesta quarta (17) a partir das 20h, para o show “Encontro de Duas Nações Verde e Rosa”, que reunirá os intérpretes oficiais da Estação Primeira de Mangueira, Ciganerey, e da agremiação amazonense, Joel Fernandes e Dom Hermeson. Será a oportunidade dos amantes do samba conferirem, em grande estilo, o samba-enredo das duas escolas para o Carnaval 2018.

Os donos da casa vão cantar o enredo “Advocacia – Dos Primórdios à OAB Nosso Direito de Sambar em Verde e Rosa”. O pré-show ficará por conta da bateria Berço do Samba e Samba Kiss. Já o mangueirense Ciganerey apresentará o polêmico samba “Com dinheiro ou sem dinheiro, eu brinco", que falará sobre as manifestações populares que acontecem independente da verba que os financia.

Ele desembarcou na capital amazonense ontem de madrugada após uma verdadeira maratona aérea: o vôo do Rio com destino a Manaus atrasou e ele, que deveria chegar por volta de 22h30 na cidade, só conseguiu desembarcar às 3h30 de terça-feira (16). Mas maratona é com ele mesmo: o intérprete fez quatro shows em um final de semana em novembro na cidade, solidificando ainda mais a identificação que ele tem com Manaus.


O mangueirense é devoto de N. S. Aparecida e pelo 3º consecutivo leva roupa para ser benzida em santuário (Foto: Divulgação)

“Faz dois meses que eu vim pela última vez a Manaus e já estava morrendo de saudade dessa terra que eu aprendi a gostar e que passei a ter como minha terra também. Às vezes acho que amo mais Manaus que o Rio de Janeiro. Digo que sou ‘manaoca’, mistura de manauara com carioca. Pelo que tenho ouvido das pessoas será uma grande festa, o Didi (Redman, presidente da Vitória Régia) está empolgado e confiante e acredito que a festa vai ser maravilhosa. O que eu quero fazer é esse povo cantar, se divertir, fazer uma grande festa. Minha expectativa é a melhor possível”, disse o artista carioca em entrevista exclusiva para A CRÍTICA.

No repertório de logo mais, “um pouco de cada coisa do samba, MPB, alguns pagodes e muito samba-enredo de várias escolas do Rio de Janeiro, com uma diversidade de ritmos”, explica ele, dizendo que quem quise ficar sentado que vá para a igreja.

Por falar em religião, neste ano a Mangueira traz em seu enredo também uma crítica direta ao prefeito Marcelo Crivella, que reduziu em 50% o repasse financeiro para as escolas de samba da cidade, ao que muitos alegaram motivação religiosa, já que ele é evangélico. Entre outras consequências, e visando o mínimo de despesas possíveis, as agremiações cancelaram eventos importantes como os ensaios técnicos no Sambódromo da Marquês de Sapucaí. Como diz a letra do samba-enredo deste ano da verde e rosa de Cartola e Nelson Cavaquinho, “Pecado é não brincar o Carnaval”. 


“O Carnaval é patrimônio da humanidade, e quem não gosta de samba bom sujeito não é”, disse Ciganerey (Foto: Divulgação)

Para Ciganerey, nada disso vai tirar o brilho do que deve ser um dos desfiles de todos os tempos, senão o maior, do Carnaval carioca. “Antes as pessoas brincavam o Carnaval de uma forma ou de outra, com dinheiro ou sem dinheiro, colocando uma roupa, sarongue, parriot, usando um pano atravessado ao corpo, etc. Depois o dinheiro foi chegando e as pessoas fizeram fantasias mais elaboradas. Mas o importante é brincar. A ideia do nosso carnavalesco é mostrar que, com luxo ou pobreza existe o Carnaval, é isso que a Mangueira quer mostrar. A escola está muito bem organizada, com carros alegóricos muito bonitos, para recordar os antigos carnavais. No final vai dar tudo certo, quem viver, verá. O Carnaval é patrimônio da humanidade, e quem não gosta de samba bom sujeito não é: é ruim da cabeça ou doente do pé”, dá o recado o intérprete da Mangueira. 

Frase

"O Carnaval é patrimônio da humanidade, e quem não gosta de samba bom sujeito não é: é ruim da cabeça ou doente do pé", disse Ciganerey, intérprete oficial da G.R.E.S Estação Primeira de Mangueira.

Serviço

O quê:  Encontro de Duas Nações Verde e Rosa
Quando: quarta-feira, 17 de janeiro, a partir das 20h
Onde: Quadra da Vitória Régia, rua Emílio Moreira, Praça 14
Quanto: pista R$ 5, mesa R$ 50 e camarote para 15 pessoas R$ 200