Publicidade
Carnaval
Especiais

Paulinha é a prova viva que o Peladão move rios e montanhas

Nascida e criada na comunidade, que possui mais de 100 famílias, a atacante do Manaus Moderna Feminino é destaque também fora das quatro linhas 09/10/2015 às 10:07
Show 1
A jogadora acorda às 4h da madrugada, toma banho, às 6h já segue para a plantação, onde fica até as 11h da manhã no trabalho braçal
EQUIPE PELADÃO 2015 ---

Ela corta lenha, serra madeira, pesca, colhe, planta, cuida da filha e, depois de tudo isso, ainda tem fôlego para jogar as partidas do Peladão 2015. A agricultora Paula Francinete Lima de Queiroz, a atacante Paulinha, para os mais íntimos, com 23 anos, é destaque do Manaus Moderna Feminino. Paulinha é moradora da comunidade São Francisco, da Costa, Terra Nova, situada no município de Careiro da Várzea (distante a 32 quilômetros de Manaus de embarcação). Nascida e criada na comunidade, que possui mais de 100 famílias, a atacante do Manaus Moderna Feminino é destaque também fora das quatro linhas.

A jogadora acorda às 4h da madrugada, toma banho, às 6h já segue para a plantação, onde fica até as 11h da manhã no trabalho braçal. Depois, ela faz uma pequena pausa para um almoço e, em seguida, já segue novamente para o cultivo. Ela que também planta e serra madeira, só larga o trabalho às 18h.

Apesar de todo esse esforço para manter a família, ela também ainda arranja tempo para treinar às terças-feiras no campo do Vicentão, no bairro Aleixo, Zona Sul de Manaus.

Por volta das 19h30 ela está pronta para pegar a rabeta e chegar ao bairro Colônia Antônio Aleixo, Zona Leste, onde segue para o campo para se reunir com o resto da equipe. Ao final do treino, rabeta mais uma vez para chegar em casa, depois das 22 horas.

Em 2014, ela foi campeã com o Manaus Moderna, ganhando a final de 3 a 1 do time de Portugal. Paulinha foi autora de um lindo gol, quando recebeu a bola no meio de campo e driblou todas as adversárias, inclusive o goleiro, e marcou para seu time. Ela, além de levantar a taça de campeão do Peladão 2014, também ergueu o troféu de craque do campeonato.

Paulinha foi indicada para o Manaus Moderna pelo próprio pai, Paulo Queiroz. “Ele disse ao dono do time que tinha uma filha que jogava bola e me indicou”, disse.

Ela contou que tem o sonho de jogar no time do Santos e que seu ídolo é nada mais nada menos do que o melhor do mundo, Leonel Messi.

Habilidosa com a bola nos pés, ela destrói, fazendo dribles incríveis. Questionada de como aprendeu lances e os dribles fantásticos, ela respondeu que assiste vídeos de Messi, ronaldinho gaúcho e do craque Neymar. Paulinha assiste, aprende e aplica os dribles nas adversárias dentro de campo.

A primeira fase do Feminino começou no último final de semana e Paulinha não atuou por conta de problemas na inscrição. Porém neste final de semana ela está escalada, para alívio das colegas, tristeza das adversárias e orgulho do Careiro Castanho.

Futebol está no DNA da família

Além de Paulinha, as irmãs dela, Raquel e Adriana de Queiróz, também atuam no time do Manaus Modernna. Raquel é uma das zagueiras do time e Adriana joga ao lado de Paulinha no ataque.

Adriana tem 27 anos, também já foi agricultora, mas há cinco anos saiu da comunidade São Francisco para ganhar a vida em Manaus. Hoje ela é industriária e também está em busca do título. Este é o segundo ano dela no time e sonha em jogar profissionalmente no Flamengo, do Rio de Janeiro.

A irmã dela, Raquel de Queiroz, 30 anos, é uma das xerifes da zaga do Manaus Moderna e também já trabalhou com Paulinha na plantação da família. “Desde pequena trabalhei na horta, mas me casei e fui morar em Manaus com meu marido. Isso há 11 anos”, explicou.

Juntas, Raquel, Paulinha e Adriana, forma um trio implacável. Além delas, outras duas irmãs, de 17 e 18 anos, também estão no caminho da bola.

Chegou a hora de dar aquele adeus

O técnico e presidente do Manaus Moderna Feminino, Aldemir Lima, conhecido no mundo do Peladão como “Pingo”, vai se aposentar da função de comandante.

Ele está envolvido com o Peladão há 17 anos e, este ano, pretende guardar a prancheta e se juntar aos torcedores na arquibancada. Pingo, como é conhecido pelos amigos, contou que o motivo foi o falecimento de seu pai, no dia 11 de setembro de 2014.

Pingo contou que estava comemorando o título de um torneio, quando recebeu uma ligação de sua irmã, informando que seu pai havia falecido.

“Eu ia informar minha irmã que tínhamos vencido o campeonato, quando ela me deu essa notícia triste, aí meu mundo desabou e eu me desanimei totalmente”, explicou.

Porém com muita força de vontade e ajuda de amigos, Pingo resolveu continuar disputandos os campeonatos de bairro e o Peladão. Mas este ano ele decidiu que vai aposentar e se dedicar a sua família e sua vida.

Ele, que possui uma banca de verdura em frente a sua casa, no bairro Petrópolis, Zona Sul da capital, é um grande veterano do torneio já foi comandante de vários times do campeonato e quatro vezes campeão, sendo uma vez pelo antigo Scorpions, da categoria principal, e três pelo Manaus Moderna.

Pingo acompanhou a visita até o município de Careiro da Várzea, onde residem Paulinha e as irmãs. Segundo o técnico do Manaus Moderna, este ano o time está com quase o mesmo elenco do ano passado e que a meta é buscar novamente a taça de campeão. “Temos boas jogadores, temos a Carliane que joga muito, a Rana Braga, também muito habilidosa e a Paulinha que joga demais em campo. Nosso grupo tá muito bom e vamos com certeza pra cima”.