Publicidade
Esportes
Craque

Aderbal Lana quer trabalhar com um bom projeto em 2013 e não descarta o Nacional

Treinador está no Penarol e diz que vai ficar até o último jogo da Série D do Campeonato Brasileiro no comando do time. Penarol só tem duas vitórias 17/08/2012 às 15:27
Show 1
Aderbal Lana é apresentado como novo técnico do Penarol
Carlos Eduardo Souza Manaus (AM)

O técnico Aderbal Lana aceitou o desafio de treinar o Penarol, mesmo sabendo que teria de vencer quatro dos quatro jogos que tinha pela frente, para tentar a classificação para a segunda fase da Série D do Campeonato Brasileiro.

Lana estreou com uma vitória em casa diante do Náutico (RR), mas, no jogo fora de casa contra o Vilhena, o time não foi bem e acabou perdendo, inclusive com a expulsão do goleiro Carlão.

Com seis pontos e podendo chegar a 12, mas com remotas possibilidades de classificação, o treinador quer uma vitória diante do Remo, domingo, e depois, outra contra o Atlético (AC), no Acre. Segundo ele, o Penarol tem de se despedir de cabeça erguida para voltar com força total no ano que vem.

“Vamos jogar para ganhar. Tem essa rivalidade do amazonense com o paraense e temos de manter isso. Sabemos das dificuldades em termos de classificação, mas vamos jogar pra ganhar”, disse Lana

Sobre o futuro, Lana disse que ainda é cedo para tratar de trabalho em 2013, mas quer comandar uma equipe que ofereça um projeto para ser campeão.

“Não quero disputar um campeonato só para disputar. Quero ganhar o campeonato, jogar uma Copa do Brasil, e quem sabe, tirar o Amazonas da Série D”, disse Lana.

Perguntado se essa equipe seria o Nacional, Lana disse que conversou com o futuro presidente do Nacional, mas ainda não acertou nada. Segundo ele, a base do Nacional, que foi campeã amazonense tem qualidades  e precisa de mais cinco ou seis jogadores de expressão nacional, com salários acima da média do futebol amazonense para ganhar o Estadual e avanças pelo menos três fases na Copa do Brasil.

“Não adianta ficar ma mesmice. Se a gente não enfrentar os problemas vamos ficar o resto da vida na Série D. temos de montar um grande time e para isso tem de contratar jogadores para resolver. Temos de mesclar com os jogadores que estão no elenco e jogar como um time grande”, frisou.

Mas Lana elogiou a diretoria do Princesa a afirmou que a diretoria do Tubarão também o consultou para negociar um contrato para o ano que vem. Segundo ele, com a saída do Operário, a cidade estará voltada para o Princesa.

“Manacapuru não comporta dois times. Não tem uma estrutura para isso. Com um time a cidade toda vai apoiar”, comentou Lana.

Aderbal Lana assumiu o Nacional no segundo turno do Amazonense quando a equipe já havia conquistado o título do primeiro turno. O time venceu o Fast e foi campeão.