Publicidade
Esportes
Craque

AFC 2: Lutadores estrangeiros já estão em Manaus

Dez dos 20 atletas contratados pela M1 Eventos para dar show na jaula de oito lados que será montada no centro da Arena são estrangeiros, com passagem pelas principais organizações mundiais do MMA 29/03/2012 às 08:34
Show 1
AFC 2: Matt Horwich exibe seu novo visual moicano
Paulo Ricardo Oliveira Manaus

A gringalhada será um atrativo à parte da segunda edição do Amazon Forest Combat (AFC), que acontece no próximo sábado na Arena Amadeu Teixeira, a partir das 21h. Dez dos 20 lutadores contratados pela M1 Eventos para dar show na jaula de oito lados que será montada no centro da Arena são estrangeiros, com passagem pelas principais organizações mundiais do MMA, como o UFC, Belattor, IFL, Dream, Strikeforce e até o extinto Pride.

Os caras têm experiência de luta, apelo de mídia e até capricham no estilo, a exemplo de Matt Horwich, de 33 anos, a pedra do sapato de Thales Leites, 30, com seu indefectível corte de cabelo moicano.

“Meus cabelos eram compridos e volumosos. Ficava estranho. Então optei pelo corte moicano. Ficou melhor assim”, explica o simpático norte-americano, que está literalmente passando fome para não pesar mais que 88 quilos, o máximo estabelecido para a peleja contra o brasileiro. “Eu engano o estômago tomando café e água. Estou acostumado a isso. É uma dificuldade que faz parte do cotidiano de quem luta”. Matt se disse empolgado em vir pela primeira vez a Manaus e diz que vai lutar em defesa da Amazônia.

“Gosto de bichos que vivem na água, como tubarões, golfinhos. Gostaria de adotar uma família de boto da Amazônia”.

Alguns dos gringos preferem botar banca a serem simpáticos, como Dave Menne, 37, que fará a luta principal do AFC contra Murilo Bustamante, 45.  Manne limitou-se a falar que aguarda por dez anos a oportunidade de fazer a revanche contra Bustamante e que espera fazer uma boa luta para se sair vencedor.

“Vou botar pressão desde o início do combate. Vim aqui para isso. Estou concentrado nesse objetivo”.   

O camaronês Thierry Sokoudjou, 27, também não estava em dia inspirado para falar. Disse apenas que seu oponente Satoshi Ishii, 25, é um grande lutador, e que não tem uma estratégia certa para vencê-lo.

“Vai ser de qualquer jeito: no chão, em pé, no boxe, no muaythai, no judô. Não há como definir antes de começar a luta”.

Matt Horwich - lutador da Kings MMA

1 É a primeira vez em Manaus? O que achou da comida, do clima, das pessoas?
Ainda não tive tempo de conhecer melhor a cidade. Gostaria de ter oportunidade para isso. Gostei do rio (Negro) imponente. Foi a primeira coia que observei daqui do hotel (Park Suites, Ponta Negra). O clima está bom e a comida, infelizmente, ainda não apreciei, porque tenho de perder peso para estar no peso certo para a categoria no dia da pesagem para o evento. 

2 Qual o caminho para vencer Thales Leites, dessa vez fora de casa?
Creio que, se eu impor um bom ritmo desde o início da luta, eu possa levar vantagem. Mas não será fácil, porque meu adversário vai lutar entusiasmado com a torcida e com o fato de lutar no Brasil. A primeira luta aconteceu na minha casa. Naquela ocasião eu me dei bem. Ele é grande lutador. Vou manter minha estratégia de tomar sempre a iniciativa na luta.

3 Qual a importância da Amazônia para o mundo na sua opinião?
A Amazônia tem uma importância vital para a humanidade, seja pela diversidade de espécie de plantas, vegetais, animais, seja pela produção do oxigênio. O mundo todo, inclusive os lutadores, devem sempre ter essa preocupação com a Amazônia, que é uma riqueza para toda a humanidade. Temos que preservar e desenvolver ações de conscientização.