Publicidade
Esportes
Craque

Alan Fonteles revela histórias emocionantes em entrevista

Ao faturar a medalha de ouro nos 200 metros da categoria T44 e bater o sul-africano Oscar Pistorius, Alan deixou de ser um mero “anônimo” para boa parte do público brasileiro e se transformou em herói nacional 06/10/2012 às 14:42
Show 1
Alan correu 21s45 e se apresentou ao mundo com a medalha de ouro nos 200m
Adan Garantizado ---

Velocidade é mais do que uma simples palavra na vida do paraense Alan Fonteles Cardoso de Oliveira. Tudo na vida do para-atleta nascido em Marabá (PA), acontece de maneira precoce. Com apenas 21 dias de vida, Alan teve as duas pernas amputadas por conta da septicemia, uma infecção geral no organismo. O que seria motivo de lamentação, transformou-se em combustível para o pequeno Alan passar por cima das dificuldades e mostrar do que era capaz. Ele iniciou no atletismo aos 8 anos de idade e aos 20 anos, precisou de apenas 21s45 para escrever seu nome na história do desporto paralímpico, nos Jogos de Londres.

Ao faturar a medalha de ouro nos 200 metros da categoria T44 e bater o sul-africano Oscar Pistorius, Alan deixou de ser um mero “anônimo” para boa parte do público brasileiro e se transformou em herói nacional. Pouco mais de um mês após a sua conquista, o para-atleta conversou com o CRAQUE e mostrou que não perdeu a simplicidade que o acompanhou desde as “primeiras passadas” com as próteses em Belém.

A arrancada na pista do estádio Olímpico de Londres durante as finais dos 200m foi cinematográfica. Ao entrar na curva para os últimos 100 metros, Alan estava na quarta colocação. Mas o brasileiro acelerou, ultrapassou os adversários e quando se viu, estava disputando a medalha de ouro “passada a passada” com Pistorius. Alan cruzou a linha de chegada sete centésimos à frente do sul-africano. E não ficou surpreso com o resultado. “Na hora em que eu ganhei a prova, eu sabia que tinha entrado para a história paralímpica por derrotar um cara que conseguiu competir em uma Olimpíada. Minha saída não foi tão boa, mas na reta sempre fui forte. Nas semifinais fiz algo parecido. estava preparado e entrei para fazer o meu melhor, sempre focado na vitória”, contou Fonteles. A polêmica criada por Pistorius, que reclamou do tamanho das próteses usadas por Alan, colocou o brasileiro ainda mais em foco. Fã declarado do sul-africano, Alan se mostrou decepcionado com a atitude de Pistorius. “Ver um ídolo seu entrando com recurso contra você e criando uma polêmica é uma situação chata e triste. Admiro bastante o Oscar por tudo o que ele é. Mas, fiquei muito triste por tudo o que aconteceu”, relatou.

Alan Fonteles Cardoso campeão paralímpico nos 200m T44

1.  Quais foram as principais dificuldades enfrentadas na sua carreira?

A estrutura no Pará não era adequada. Só temos a pista, que é uma das melhores do País, mas você também precisa de médico, massagista, fisioterapeuta... Infelizmente não temos isso aqui. Recebi a proposta do time São Paulo que é bancado pelo Governo do Estado e treino em São Caetano desde o começo do ano.

(A íntegra deste conteúdo está disponível para assinantes digitais ou na versão impressa).