Publicidade
Esportes
Craque

Amazonas é o Estado com maior número de mortes por raios do país, diz Inpe

Em 2011, o Estado apresentou aumento nos registros, com sete mortes. Em 2010, foram quatro. Parintins é o município com maior casos 14/02/2012 às 14:46
Show 1
Os registros de raios na região Norte são os maiores do país
Elaíze Farias Manaus

O Amazonas registrou sete mortes causadas por raios em 2011, ocupando o primeiro lugar na região Norte. Pará ocupa a segunda posição, com cinco casos e Roraima vem em terceiro, com três casos.

O município do Amazonas com maior quantidade de ocorrências foi Parintins, que teve três óbitos. Os outros municípios que registraram mortes por raio foram GuajaRá, Iranduba, São Gabriel da Cachoeira e Santa Isabel do Rio Negro.

O balanço mostra que houve aumento no número de mortes por raios no Amazonas em 2011 em relação a 2010. Há dois anos, foram registradas quatro mortes: duas em Manaus e uma em Apuí e outra em Autazes.

Os dados fazem parte do balanço de mortes por raios em 2011 do Grupo de Eletricidade Atmosférica (ELAT) do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe).

Das sete mortes registradas no Amazonas ano passado, cinco ocorreram no período chuvoso – três em fevereiro, uma em janeiro e outra em março. As outras duas foram em julho e outubro.

O Amazonas é também o estado com maior incidência de raios do país. Em média, o Estado registra 11 milhões de registros por ano, segundo o balanço do ELAT.

Norte

De acordo com o ELAT, a região Norte apresentou o maior índice de vítimas fatais, com 25% do total, seguida pela região Centro-Oeste, com 22%.

Já a região Sul apresentou o menor índice, com 13%. As regiões Nordeste e Sudeste ficaram cada uma com 20% do total de mortes.

A cada 50 mortes por raios no mundo, uma é no Brasil. O país, campeão em incidência do fenômeno, teve quase 1.500 vítimas fatais de raios nos últimos 12 anos.

Cartilha

O ELAT anunciou também o lançamento da Cartilha de Proteção contra Raios, que está disponível no Porta ELAT, através do link: http://www.inpe.br/webelat/homepage/menu/protecao/cartilha.de.protecao.contra.raios.php.

Entre outras informações, a publicação orienta as pessoas a escapar de raios. Os cinco mandamentos do que não fazer durante uma tempestade são: praticar atividades de agropecuária ao ar livre (circunstância que mais mata pessoas no Brasil); ficar próximo a carros e outros veículos ou andando em motos e bicicletas; ficar em campo aberto, como praias, campos de futebol ou embaixo de árvores e perto de cercas; ficar perto de objetos que conduzem eletricidade (como telefone com fio ou celular conectado ao carregador) e objetos metálicos grandes; ficar em um abrigo aberto, como em sacada, varanda, toldo, deque, etc.

A opção mais segura de abrigo é: buscar um veículo fechado como abrigo e ficar dentro dele, com as portas e janelas fechadas, sem encostar-se à lataria até a tempestade passar. Até hoje não há registro de mortes dentro de veículos em nosso país.