Publicidade
Esportes
Arte-Suave

Amazonense de jiu-jitsu profissional reúne mais de 1.500 pessoas no Sesi

Terceira edição do amazonense superou as expectativas de público da organização e lotou as arquibancadas 08/05/2016 às 12:11 - Atualizado em 08/05/2016 às 12:17
Show whatsapp image 20160507  1
Amantes da arte-suave lotara as arquibancadas do Sesi / Foto: Marcio Silva
Thaissa Cordeiro Manaus- AM

O sábado (7) foi agitado para os fãs da arte suave.  Cerca de 1.500 pessoas  entre atletas e familiares estiveram presentes no Amazonense de Jiu-Jitsu, realizado no Clube do Trabalhador (Sesi), na Zona Leste de Manaus. O evento contou com a presença ilustre do campeão do Jungle Fight, Naldo Silva.

Organizado pela Federação Amazonense de Jiu-Jitsu Profissional (FAJJPRO) a terceira edição foi disputada nas categorias de mirim a sênior, do galo ao pesadíssimo e os absolutos, sem limite de peso. De acordo com o presidente da entidade, João Bosco Júnior, o público esperado era de 1.000 atletas, mas as expectativas foram ultrapassadas.

 “Saiu tudo como o planejado, todos os professores vem participando e colaborando. Graças a Deus tivemos um público bem superior daquilo que nós imaginávamos”, destacou. Ainda em sua fala, o mandatário revela o desejo de inserir na arte suave a categoria para Pessoas com Deficiência (PCD). “Futuramente a FAJJPRO está querendo colocar uma categoria voltada para pessoas com deficiência (PCD), vai ser uma inovação no jiu-jitsu do Amazonas”, frisou o presidente.  

Destaque

Samy Galvão, 15 anos foi destaque da categoria adulto azul, finalizou a adversária com um belo armlock. Apesar da pouca idade, a atleta possui m currículo de causar inveja, com dois títulos do Campeonato Brasileiro, um  Sul-Americano, Pan-Americano e um Mundial da Confederação Brasileira de Jiu-Jitsu Esportivo (CBJJE).

“Eu estava ganhando a luta por 38 pontos, o meu objetivo era pontuar o máximo, mas graças a Deus consegui finalizr com um armlock e sair com a vitória”. A atleta conquistou ainda a medalha de prata no absoluto azul. “Eu comecei a lutar no adulto quando eu tinha 12 anos, a maioria dos campeonatos eu fecho com as minhas amigas, a gente fecha o primeiro lugar”, destacou a atleta do Projeto Social Nandinho, do bairro Cidade Nova.

Mãe Coruja

Entre tantas  pessoas presentes para acompanhar mais de 8h de lutas, o destaque foi para mãe coruja Elisângela Medeiros, 42 anos, mãe de Lucas Medeiros, 20, que competiu na categoria pena (até 70 kg). Ela se diz uma fã de carteirinha do atleta, o presente do dia das mães não veio, pois Lucas foi finalizado no tatame, mas não se abalou.

“Infelizmente ele não venceu, mas terá outro campeonato”, disse Elisângela. A mãe revela que também é praticante de arte-suave “Eu treino junto com meu filho, sou faixa branca, ele que me ensina, sou apenas uma mãe no tatame (brinca)”.

Presença 'Vip'

O atual campeão dos galos do Jungle Fight, Naldo Silva, acompanhou de perto as lutas deste sábado, o lutador, elogiou o nível técnico dos atletas. “São vários campeões mundiais presentes. Eu sempre digo que a maior dificuldade do atleta de jiu-jitsu é vencer aqui no Amazonas, aqui tem os verdadeiros ‘cascas grossas’, ser campeão aqui é mais difícil que ser campeão em São Paulo”, finalizou o lutador da equipe Evolução Thai, de Curitiba (PR).

Alguns resultados

Pena- Masculino Adulto

  1. Vitor Neves (FAJJPRO)

Sênior 1 masculino- faixa preta (36 a 40 anos)

  1. Alcenor Alves (Luís Neto)
  2. Jose Akel
  3. Ader Castro

Absoluto feminino- faixa azul /roxa

  1. Luany Fernandes (Luís Neto)
  2. Samir Galvão (Nandinho)
  3. Gabriela Dias