Publicidade
Esportes
Craque

Amazonense encara nova luta após uma semana de lutar em evento de MMA

Ronys vai embolsar R$ 1 mil para lutar e mais R$ 1 mil se vencer o oponente. O combate realizado em uma arena terá três rounds de cinco minutos 10/11/2012 às 10:00
Show 1
Amazonense reclamou da última luta nos EUA
Paulo Ricardo Oliveira ---

Sete dias após pelejar no World Series of Fighting (WSOF), em Las Vegas, Nevada, Estado Unidos, onde perdeu para Brian Cobb em decisão controversa dos árbitros norte-americanos, Ronys Torres está de volta ao batente: o amazonense luta neste sábado (09) à tarde, contra Felipe Nilo, em GP de lutas de submissão (sem quimono) até 77 quilos, no auditório do shopping da Barra da Tijuca (RJ).

Ronys vai embolsar R$ 1 mil para lutar e mais R$ 1 mil se vencer o oponente. O combate terá três rounds de cinco minutos e acontece dentro de uma arena, igualmente às disputas de MMA.  “É um GP que outros lutadores de nome estão na parada. Então é uma chance que eu tenho de ganhar uma grana dentro da minha especialidade, que é a submissão. Eu dou aula de submissão na Nova União. Nessa modalidade, o risco de lesão é quase zero”.

Radicado no Rio de Janeiro, onde paga aluguel e treina na Nova União, no bairro do Flamengo, Ronys é um exemplo de perseverança no MMA. Faixa-preta de jiu-jitsu e conhecedor de outras artes marciais, como muay thai, boxe, wrestling, ele luta pela sobrevivência em um mercado tão efêmero quanto concorrido. Ainda assim, o amazonense não desiste nunca e vislumbra dias melhores em eventos internacionais, a exemplo do próprio WSOF, onde fará outra luta no início de 2013. “Eu tenho 25 anos e estou na ativa. Me sinto bem treinando, lutando. Então quanto tenho oportunidade, eu avalio os riscos e vou pro pau. Eu vivo de luta”.

Assimilando a derrota

A derrota do último sábado para Brian (The Bandit) Cobb ainda não saiu da cabeça de Ronys pelas circunstâncias. O amazonense perdeu por decisão dividida da arbitragem do evento. Um votou a favor dele, mas dois votaram contra. O resultado não agradou nem ao lutador e muito menos ao treinador e empresário André Pederneiras, o Dedé.

“Foi um absurdo. Gostaria de saber como um lutador é melhor em pé, melhor no chão, e ainda assim é derrotado. O próprio matchmaker da organização veio nos falar que o resultado foi errado, e que o Ronys vai estar presente na próxima edição”, disse o técnico. Vencendo ou perdendo a luta de submissão, Ronys vem para Manaus.