Publicidade
Esportes
Craque

Amazonense participará de Festival de Kung Fu na China

Valeska Silveira, de 30 anos, será a única atleta da região Norte a participar, junto com a Seleção Brasileira de Kung Fu, do 5º World Traditional Wushu Festival 30/10/2012 às 16:05
Show 1
Valeska Silveira participará de torneio de Kung Fu na China
Lorenna Serrão Manaus

A amazonense, Valeska Silveira, de 30 anos, será a única atleta da região Norte a participar, junto com a Seleção Brasileira de Kung Fu, do 5º World Traditional Wushu Festival, competição internacional que acontecerá na China de 5 a 10 de novembro.

Valeska garantiu a vaga ao conquistar a medalha de bronze no campeonato Brasileiro da modalidade em 2011 e ao vencer duas seletivas realizadas este ano. A atleta que divide o tempo com trabalho, estudo e treinos, intensificou a preparação para o festival no mês de junho.

O técnico e esposo, Ari Galvão, disse que os treinos já foram encerrados e que agora Valeska está apenas acertando os últimos detalhes para a viagem.

“Ela embarca para São Paulo na quinta-feira, onde se juntará a seleção brasileira para poder seguir para China. Valeska está bem preparada, apesar de ter treinado pouco, por conta da pós-graduação e do trabalho o tempo ficou curto, mesmo assim acredito que ela ajudará o Brasil a conquistar um bom resultado no torneio”, disse Galvão.

A confiança na esposa é tão grande, que mesmo tendo que enfrentar as melhores atletas do mundo na terra do Kung Fu, ainda assim, ele Para Galvão o grande adversário de Valeska no Festival será o frio.

“Estamos acostumados com o forte calor de Manaus, por isso acredito ela vai sofrer um pouquinho com o frio, tenho certeza que este será o seu principal adversário”, comentou.

Pentacampeã amazonense em espada e facão, a faixa preta, discípula do Shifu Ari Galvão, acumula nos seus oito anos de Kung Fu o título brasileiro na lança, facão e espada, além de vários vices campeonatos. A paixão pelo esporte surgiu por acaso e desde então não parou mais.

“Eu nem gostava de atividade física, mas um dia vi as meninas fazendo treinos com espadas. Fiquei encantada”, finalizou Valeska.