Publicidade
Esportes
Craque

Apoio local: radicados em Manaus, família haitiana prestigia treino único do Haiti na capital

Seleção caribenha executou treinamento do fim da noite deste domingo (11) no estádio da Colina. Chance para os haitianos que moram na cidade acompanhar de perto a equipe de sua terra natal 11/10/2015 às 22:05
Show 1
Família haitiana radicada em Manaus vai inteira pra Arena apoiar a Seleção do Haiti contra o Brasil.
Denir Simplício Manaus (AM)

Quando desembarcou no Brasil há cinco anos, fugindo da crise causada pelo terremoto no Haiti, Nicholas David deixou para trás a mulher e dois fllhos. Hoje, já estabelecido na cidade com toda a família, o carpinteiro, que ajudou a construir a Arena da Amazônia, era só sorrisos ao ver de perto a seleção de seu país.

 A equipe do Haiti, que chegou a Manaus no fim da noite de sábado (10), fez único treinamento no estádio da  Colina, no início da noite de ontem, e abriu os portões do local para os torcedores. Chance perfeita para Nicholas levar os filhos para ver de perto os craques de sua terra natal.

 “Estou feliz que eles estejam aqui. Meus filhos gostam de futebol e vamos assistir o jogo na Arena amanhã (hoje)”, comentou Nicholas, aos lado dos filhos Wesley Nicholas, 14, e Nicholas Daividson, 19. “O mais novo não veio porque está na igreja com a mãe. Se não estaria aqui, porque adora futebol mais que os outros”, disse o haitiano, afirmando que o mais jovem dos filhos, que nasceu no Amazonas, é fanático por futebol.


“É a terceira vez que vou assistir jogo na Arena. Na Copa, vi o jogo de Camarões. Trabalhei na construção do estádio e é sempre bom voltar lá”, disse o carpinteiro, lembrando que assistiu a partida entre Camarões e Croácia, pelo Mundial da Fifa, em Manaus, no ano passado.

Pequenos torcedores

Para os jovens Wesley e Daivison é a oportunidade de ver alguns dos ídolos haitianos que atuam no futebol europeu. “Vi para ver o Duckens Nazon. Ele joga na França e é um dos melhores da equipe”, apontou o pequeno haitiano de 14 anos, fazendo uma selfie tendo o jogador do time francês Laval Mayennse ao fundo.


Daivison, de 19 anos, se disse torcedor do Corinthians, mas também gosta do outros clubes como Flamengo e Cruzeiro. “Jogo futebol no colégio. Aqui no Amazonas não acompanho muito futebol. Vim uma vez aqui (Colina) para a inauguração”, revelou o jovem, que confessou estar procurado emprego para ajudar a família.

Para o amistoso desta segunda-feira (12), a família Nicholas vai em peso para a Arena da Amazônia. Pai, esposa e os três filhos estarão nas arquibancadas do palco da Copa do Mundo em Manaus. Mais que apoiar sua seleção, os haitianos querem se integrar cada vez mais na cultura do povo brasileiro. Nada mais apropriado que assistir a uma partida de futebol.