Publicidade
Esportes
Craque

Após vexame de 7 a 0 na abertura da Copa Amazonas, Holanda anuncia saída do treinador

Segundo presidente, Alencar Viana foi demitido por conta dos 7 a 0. Treinador alega não recebimento de salários 15/10/2015 às 20:40
Show 1
Alencar Viana não suportou goledada e foi demitido no primeiro jogo
Anderson Silva Manaus (AM)

O técnico do Holanda, o mineiro Alencar Viana foi demitido do comando da equipe de Rio Preto da Eva (distante a 84 quilômetros de Manaus), nesta quinta-feira (15). O treinador que estava há quase um mês na equipe não resistiu a primeira derrota no comando da equipe, nos 7 a 0 para o Fast, na noite da última quarta-feira, no estádio Jornalista Carlos Zamith, pela abertura da Copa Amazonas. Nomes como do preparador físico e treinador Paulo Feitosa são cogitados.

De acordo com o presidente do clube, Leão Braúna, o agora ex-treinador foi demitido por “ter participação direta na derrota”.

“O único motivo é que, pra mim, ele fez parte da derrota. É um campeonato curto e ele sabia que não poderia perder. Não atentou para não tomar gols e nós passamos vexame. Disse pra ele que enfrentaríamos um time que vive junto há mais de cinco anos, embora seja em outros clubes... Ele teve trinta dias para trabalhar, fizemos uma pré-temporada em Manaus e daí acontece isso. Sou treinador há mais de 30 anos e sei o que é certo e errado”, explicou o presidente, lamentando o primeiro revés do time do interior.

“No estádio estavam nossos torcedores, apoiadores e patrocinadores de Rio Preto da Eva que estão ajudando o clube. Foi à gota d’água. Isso não poderia acontecer. Todos saíram muito tristes do estádio”, desabafou.

Não atrapalha

A vinda de um segundo treinador, em menos de 48 horas depois da derrota para o rival, não é encarado como um fator "complicador".

“Não compromete os trabalhos, não. O que não podemos mais é perder. Ainda vai ter times perdendo pontos. Mas não podemos mais perder”, alertou Braúna.

Sem perder tempo

Com pouco tempo para se lamentar, Braúna já contata treinadores para assumir a Laranja do Rio Preto.

“Vou fazer o convite para o Paulo Feitoza (treinador). Se ele não quiser eu mesmo irei treinar a equipe no treino desta sexta-feira”, garantiu.

Treinador desmente diretoria

Já no aeroporto Eduardo Gomes, na noite desta quinta-feira, Alencar Viana conversou por telefone com o CRAQUE. Antes do embarque para Minas Gerais, o treinador revelou que a diretoria do clube não cumpriu com o prometido,  e já estudavam a possibilidade de demitir o treinador.

“Antes o treinador era demitido por três derrotas, agora é por uma. Eles iam me mandar embora de qualquer jeito. Não pagaram salário, não pagaram os jogadores... 45 dias trabalhados sem receber. Vim com o meu dinheiro e estou voltando com o meu dinheiro. Nem o dinheiro da minha passagem deram. Até agora não conversaram comigo, pedi para arrumar minha mala e avisei que estava indo para o aeroporto”, explicou o treinador, afirmando que tinha apenas contrato “de boca” com o clube.

“Eu não sou moleque. Arrumei minha mala e me despedi dos atletas. Nem contrato eu tenho, foi de boca. Confiei nas pessoas erradas. Não estou aqui para detonar ninguém e nem prejudicar ninguém. Assim que anunciei minha saída os jogadores queriam ir embora e disse para que eles continuassem, para que não prejudicassem o próximo treinador”, disse.


Sobre os 7 a 0

“Fiz o que pude fazer. O Fast é uma grande equipe, jogaram com respeito e ganharam. Nosso time não foi bem dentro de campo... Temos que ter autocrítica. Não deu certo, mas pode dar certo em outro lugar. Só espero que as pessoas tratem o futebol com respeito. Não tenho nada contra o presidente (Leão Braúna) e nada contra o Thiago (Soeiro, diretor de futebol e responsável pela indicação e do treinador) que é meu amigo, continuo amigo, mas trabalhar junto não trabalho mais. Agora é descansar e ir para a roça, cuidar das minhas vaquinhas e analisar as propostas”, afirmou o treinador.