Publicidade
Esportes
Craque

Argentino Damián Blaum já está em Manaus para participar da maratona Rio Negro Challenge

O maratonista é nadador olímpico, campeão pan-americano e mundial de Águas Abertas do GP da Federação Internacional de Natação (Fina) em 2013 27/04/2015 às 21:28
Show 1
Damián Blaum está pela primeira vez em Manaus, mas já nadou em águas amazônicas
Camila Leonel Manaus (AM)

Os maratonistas que participarão da Rio Negro Challenge - prova aquática de 30km que que acontecerá no dia 2 de maio, em Manaus, começaram a desembarcar na cidade. Um desses nadadores de águas abertas é o argentino Dámian Blaum, nadador olímpico, campeão pan-americano e mundial de Águas Abertas do GP da Federação Internacional de Natação (Fina) em 2013.

Apesar de ser a primeira vez em Manaus, o atleta já conheceu as águas amazônicas. Em 2002, ele disputou o sulamericano e em 2006 a Copa do Mundo, ambos em Belém do Pará. Para a prova do próximo dia 2, as expectativas de Balum são boas. “Em Manaus é a primeira vez para mim, mas não é a primeira vez que estou na Amazônia. Fui duas vezes em Belém do Pará, mas tenho boas expectativas para essa prova. É a primeira vez que nadamos em Manaus na prova de 30 quilômetros no Rio Negro e espero que todos os competidores possam desfrutar do rio e da gente de Manaus”, explicou.

O clima quente e úmido característico do Norte do país, das águas quentes do Rio Negro e do fato de nadar contra a correnteza à primeira vista são desafiadores, mas Dámian acredita que os maratonistas já estão acostumados a nadar nas mais diversas situações.

“Penso que todos os nadadores estão acostumados a nadar provas em águas normais, em águas quentes, em águas frias ou na água normal de rio. É um desafio, mas estamos preparados para isso. O rio é grande e penso que é um desafio, mas estamos preparados para isso”.

Blaum também explicou que não existe uma preparação especial para esta prova. A preparação inclui todas as provas presentes no circuito da Fina durante o ano.

“Nós não nos preparamos apenas para uma prova, nos preparamos para todo um circuito que dura todo o ano e basicamente consiste em treinar a cada dia de manhã e à tarde, nadar muitos quilômetros, a fazer uma preparação física, comer corretamente e descansar”, explicou.

A prova, que busca entrar para o circuito de maratonas de águas abertas da Federação Internacional, é vista com bons olhos pelo nadador.

“A importância é muita. O circuito internacional necessita de novas provas, creio que seria muito positivo para o circuito agregar uma nova competição, e nós estamos aqui para apoiar o Pierre (organizador da prova) nesta cruzada de organizar uma prova internacional. Esperamos que no próximo ano seja oficial para o circuito”, disse.