Publicidade
Esportes
Craque

Asis e Fla não entram em acordo de salário de R10

Impaciente com mais um longo período de inadimplência do clube, o irmão do jogador partiu para o ataque e desmentiu o vice de finanças Michel Levy 29/04/2012 às 18:35
Show 1
R10 está com o salário atrasado há quatro meses
Bruno Braga e Roberto Murad / Lancenet Rio de Janeiro

A indiferença do Flamengo sobre os salários atrasados de Ronaldinho tem deixado o empresário Roberto Assis irritado. Impaciente com mais um longo período de inadimplência do clube, o irmão do jogador partiu para o ataque e desmentiu o vice de finanças Michel Levy.

“Não fiz nenhum tipo de acordo com o Flamengo. Não condicionamos o pagamento ao acordo com patrocinador. Não vai por essa linha. Não tem nada de 13 salário e direito de imagem. O clube está há quatro meses sem pagar o Ronaldo”afirmou Assis ao L!, referindo-se à afirmação do dirigente do clube, na sexta-feira, na qual disse que a situação está sob controle, uma vez que o staff de R10 teria aceitado o recebimento mediante ao acordo com o patrocinador principal.

Assis enviou, na semana passada, uma notificação extrajudicial ao departamento jurídico do Flamengo, cobrando os pontos contratuais que não estão sendo cumpridos. Ainda não recebeu uma resposta.

“Sabemos que o Flamengo está resolvendo outras coisas e não tem agenda para conversar, mas o clube está inadimplente. Ninguém gosta de ficar sem receber. Estamos cumprindo o contrato” protestou Assis.

Ao tomar conhecimento da insatisfação, o vice de finanças Michel Levy entrou em contato com Assis para reiterar a promessa de pagamento dos salários. O dirigente afirma que o pagamento virá com ou sem acordo com patrocinador.

“Não está condicionado a nada. Existe um acordo verbal de que está se aguardando o fechamento de patrocinador principal. E existe uma tolerância. Estamos sempre nos falando. Existe o débito e vamos pagar”, confirmou Levy, que está otimista quanto ao fechamento do acordo para patrocinador principal.

“Estamos na expectativa de fechar. Está mais perto do que estava. Se não fechar, vamos pagar mesmo assim. Não tem plano B”, encerrou.

Atraso já permitiria rescisão contratual

Assis afirma que Ronaldinho não recebe salários há quatro meses. O Flamengo, no entanto, prefere não confirmar o tempo em que está em débito com o meia-atacan-te. Segundo a lei trabalhista que rege os contratos dos jogadores de futebol, três meses de atraso são suficientes para um atleta entrar com uma ação e se desvincular.

– Após isso o jogador pode ser liberado. Com dois meses de fundo de garantia atrasados pode conseguir a liberação também. Desta forma, o contrato é quebrado independentemente do tempo do vínculo. Cabe ao Flamengo pagar uma cláusula compensatória ao jogador– explicou Gislaine Nunes, advogada especialista em direito esportivo.

Correntes do clube pressionam a presidente Patricia Amorim a negociar Ronaldinho para aliviar a folha de pagamento do elenco profissional, mas uma proposta concreta
para venda não chegou às mãos da mandatária. A ala insatisfeita não faz questão da continuidade do camisa 10 no time por sua postura dentro e fora de campo.

Outra reclamação é o custo-benefício em bancar R$ 1,2 milhão ao jogador por mês. Antes da eliminação na Taça Rio, até Patricia Amorim colocou em dúvida a continuidade de Ronaldinho no Flamengo.