Publicidade
Esportes
AMM favorecimentos

Associação Amazonense dos Municípios vai usar de cautela para evitar favorecimentos durante ano eleitoral

O presidente da  AAM , Jair Soutor, diz que é preciso cautela em 2012, ano eleitoral, para evitar favorecimentos de candidatos do interior do Amazonas 08/01/2012 às 09:51
Show 1
Presidente da AAM, o prefeito de Manaquiri, Jair Souto pede otimismo
Moara Cabral Manaus

O presidente da Associação Amazonense dos Municípios (AAM), Jair Souto (PMDB), declarou que evitar favorecimento de candidatos no interior do Estado está entre os principais desafios da entidade em 2012. Souto, que é prefeito do Município de Manaquiri (a 60 quilômetros a sudoeste de Manaus) e não vai disputar o pleito, também coloca com meta para o ano eleitoral a resolução de velhos problemas de logística, comunicação, Internet, saúde e educação no interior do Estado.

 “Nós precisamos ser dinâmicos e ter a capacidade para não partidarizar ou favorecer A ou B (na eleição)”, declarou o presidente da AAM.

Jair Souto classifica 2012 como um ano de ação e cautela. Segundo ele, por se tratar do ano em que ocorrem as eleições municipais, é importante que a Associação trabalhe de forma a não favorecer partidos ou municípios.

 O presidente da AAM já revela preocupação com o período pós-eleitoral. Disse que a entidade defende uma campanha de apoio à transição de cargos nos municípios do interior. Ele apresenta a proposta como uma forma de orientar tecnicamente os prefeitos que estão deixando os cargos e os novos que estão assumindo as prefeituras.

 Ainda em relação à falta de preparo técnico dos políticos do interior, Souto destacou como um dos pontos positivos em 2011 a aproximação dos órgãos de controle, como a Escola de Contas do Tribunal de Contas do Estado (TCE). Para ele, a medida foi positiva e diz que a parceria irá continuar esse ano e envolver outros órgãos. “Essa parceria é importante para ajudar prefeitos a não terem dificuldades na aprovação da conta do município”, disse.

Souto citou como dificuldades enfrentadas em 2011, incluídas no planejamento estratégico do interior para 2012, a resolução dos problemas da logística, comunicação, banda larga, saúde e educação. “A associação tem lutado para que possa realmente incorporar esse modelo de desenvolvimento no interior do estado”, garantiu.

 De acordo com ele, a falta de internet de banda larga no Amazonas prejudica a aplicação de programas sociais como o Bolsa Família. Isso porque os arquivos são pesados, a atualização é via online. “Precisamos enviar os dados cadastrais e muitas vezes não conseguimos carregar a página. É um transtorno”, alegou.

Apoio técnico para prefeitos

interior A Associação Amazonense dos Municípios (AAM) que criar um setor de Engenharia, com profissionais especializados, para apoiar com orientações projetos das prefeituras do interior do Estado. Segundo o presidente da entidade, Jair Souto, no próximo dia 25 haverá uma reunião com os prefeitos do interior para discutir e consolidar a ideia.

 Ele afirmou que irá destinar uma sala da AAM, em Manaus, para estruturar o setor técnico. “Os engenheiros precisam se planejar para visitar os municípios e com um sala específica aqui fica melhor para as cidades do interior. Acreditamos e temos responsabilidade com a administração pública. Essa sala é uma forma de demonstrar também isso”, garantiu.

JaIr Souto voltou a criticar o Congresso Nacional, que, na avaliação dele, legisla sem pensar nos municípios do país. O alvo da reclamação foi o reajuste do salário mínimo que onerou a folha de pagamento nos municípios. No interior do Estado, a maior parte dos empregos são oferecidos pela administração pública. “Grande parte dos salários nos municípios é o salário mínimo e isso mexe diretamente com as prefeituras. Algumas precisam fazer cortes para manter os salários, mas o Congresso Nacional não enxerga isso”, reclamou.