Publicidade
Esportes
Craque

Atleta do Amazonas prova que talento na piscina é ‘herança’ de família

Isabelle Nobre é destaque em troféu de natação que leva o nome do avô e mestre, ‘seu’ Orleans Tupinambá Nobre 03/09/2012 às 08:27
Show 1
Isabelle Nobre é destaque em troféu de natação que leva o nome do avô e mestre, ‘seu’ Orleans Tupinambá Nobre
Nathália Silveira Manaus

Aos 80 anos de idade, seu Orleans Tupinambá Nobre enche os olhos de lágrimas quando vê sua neta, Isabelle Nobre, 16, cair na piscina. Apesar de ser figura constante nas competições e torcedor de carteirinha da atleta, o simpático senhor não consegue se conter quando assiste a herdeira seguindo os seus passos e deixando sua marca na história da natação amazonense. A emoção sempre fala mais alto.

Neste final de semana, a bela moça brilhou em um dos eventos mais importantes da região Norte, o Torneio Amazônia Ocidental de Natação - Troféu Orleans Tupinambá Nobre, que como vocês puderam observar, leva o nome do patriarca da família Nobre. Talvez por isso, a felicidade deste avô coruja tenha triplicado.

“Isso daqui é uma das melhores lembranças da minha vida. Fico bastante emocionado de ver a minha família reunida em prol da natação. Estou sem palavras, é muita felicidade”, disse seu Orleans, orgulhoso por Isabelle ter abocanhado todas as provas em que se 'alistou'. Nos 200m costa, a atleta da Kako Nadadores levou ouro ao marcar 2 min44seg, conseguindo a bater o recorde da prova que perdurava desde 2008 com o tempo de 2min46seg. Ela ainda subiu ao lugar mais alto do pódio nos 100m, categoria Juvenil II. “Estou contente. Tenho que representar bem meu avô”, brinca a atleta que tem apoio da Mavel e do Instituto Ida Nelson.

Saudoso, o senhorzinho conta que se apaixonou pela natação no ano de 1974, quando começou levar seus filhos Cláudia e Cláudio Nobre para treinarem no antigo Clube Guanabara. Quatro anos depois, sua filha, Cláudia Nobre (mãe de Isabelle) já se destacava nas competições, vencendo em 1978 a Travessia Almirante Tamandaré. “Filha de peixe, peixinho é”, brinca seu Orleans, que fundou em 1992 a Associação Aquática Nobre (localizada na avenida Leonardo Malcher, Praca 14 de Janeiro, zona Sul).

“Não tem coisa melhor para disciplinar uma criança que a natação. No Amazonas, essa modalidade precisa crescer mais. Mas, fico confortável em dizer que o Botinho (Vítor Façanha, presidente da Federação Amazonense de Desportos Aquáticos - Fada) está fazendo um trabalho de recuperação do esporte. Basta olhar para este evento e vê o esforço dele”, comentou o ‘velhinho’  abraçando a neta, que após as provas corria para trocar de roupa e não perder a ‘próxima parada’. Isabelle embarcou na noite de sábado para  Sucre (Bolívia), onde irá disputar pela Seleção Brasileira a 32ª Copa Pacífico.

“Vou sentir saudade. Mas o orgulho compensa. O que eu mais quero na vida é que ela nunca desista da natação”, disse o vovô mais bem entendido da natação amazonense.