Publicidade
Esportes
Craque

Atletas do ‘Divas da Areia Gay de Vôlei’ dão show de bola em Manaus

Realizada neste fim de semana, no CSU do Parque 10, a etapa Centro-Sul do torneio foi um bloqueio bem armado contra o preconceito  04/06/2012 às 09:12
Show 1
Com alegria para dar e vender, participantes do torneio 'Divas da Areia Gay de Vôlei' se empenham
Paulo Ricardo Oliveira Manaus

Realizada neste fim de semana, no CSU do Parque 10, a etapa Centro-Sul do torneio Divas da Areia Gay de Voleibol foi um bloqueio bem armado contra o preconceito.

Embora tenha sido derrotada neste domingo, pela Inglaterra, por 18 a 13, a equipe França foi a campeã pela somatória de pontos e vantagem na quantidade de sets vencidos. O “show” foi assegurado por belas disputas dentro da quadra, num estilo muito próprio de comemorar os pontos. Fora do jogo, foi mais uma oportunidade de congregar gays locais que gostam da prática esportiva.

Coordenador da competição e envolvido no movimento Lésbicas, Gays, Bissexuais e Transgêneros (LGBT), Daniel Coelho, cujo “nome de guerra” é “Potira”, disse que o “Divas da Areia” é mais um dos eventos da sigla que se consolidaram no calendário anual de competições.

“Nós estamos fortalecendo as ações esportivas do LGBT. A comunidade gay é identificada com o voleibol, mas vamos ampliar isso, realizando um torneio de queimadas e também atrair os outros gêneros, como as lésbicas, com o futsal e o futebol”, explicou o organizador.

A primeira etapa - Zona Norte, teve como campeã a Alemanha e foi realizada no bairro Nova Cidade. A segunda - Zona Leste - aconteceu no Clube do Trabalhador (Sesi) e teve a Inglaterra como primeira colocada. A próxima será a Zona Oeste, no Clube Municipal, em julho. A competição é realizada estrategicamente em lugar aberto para chamar a atenção do público e também para marcar posição da comunidade.

Gay e negro, o universitário Josafá Nascimento, 23, que defendeu a Polônia, teria dois motivos para sofrer preconceito. O jovem considera o “Divas da Areia” um mecanismo importante  para maior aceitação do público. “Esse evento é uma forma de dar um basta em toda forma de preconceito”.