Publicidade
Esportes
ACESSO

Barezão: mesmo com vantagem, São Raimundo quer evitar clima de 'já ganhou'

Na busca pelo acesso à Série A, o Tufão está na vantagem, podendo perder até por três gols que carimba o passaporte, mas o Cliper ainda não desistiu; decisão começa às 18h, no estádio Ismael Benigno 10/12/2017 às 15:27
Show tufao
Foto: Arquivo/AC
Camila Leonel Manaus (AM)

Nada está ganho, mas nada está perdido. É com esses pensamentos que São Raimundo e Cliper entram em campo às 18h, no estádio Ismael Benigno, Zona Oeste,  para definir quem fica com uma da vagas para o acesso à Série A do Barezão do ano que vem. De quebra, o classificado decide o título da Série B.

O primeiro jogo foi 4 a 1 para o São Raimundo, resultado que dá ao Tufão da Colina a vantagem de perder por até três gols de diferença neste domingo. Porém, mesmo com a vantagem, o técnico Sidney Bento evita o clima de “já ganhou”. 

“Na hora que acabou o jogo domingo, já conversei com todos e pedi para manter os pés no chão. Todos sabem que ainda não conseguimos nada e precisamos manter o foco e ter respeito pelo adversário que vem forte para cima da gente. A maioria são jogadores experientes acostumados a jogos decisivos e tenho certeza que vamos fazer um grande jogo novamente e conseguir nosso objetivo”, disse o treinador que trabalhou as falhas da equipe durante a semana.

“Corrigimos falhas de marcação que tivemos no último jogo e nas bolas paradas. Precisamos trabalhar isso para ter um melhor rendimento nesta partida”, completou.

Mesmo perto do seu objetivo, o clima no São Raimundo é tranquilo. A experiência dos jogadores que compõe o plantel é um dos motivos para acreditar que o time pode fazer uma boa partida para assegurar o acesso.

“O clima está tranquilo. O nosso grupo tem uma rapaziada carimbada no futebol. Tivemos uma conversa com o professor pra não deixar ‘oba oba’ entrar”, disse Branco, artilheiro do Barezão, com quatro gols, dois deles marcado no último domingo.

Ajustes

Quem também sabe que não há nada definido é o treinador do Cliper, Neneca. A equipe também passou a semana ajustando falhas e trabalhando para neutralizar as jogadas do adversário. O principal setor trabalhado é o defensivo que, nos dois últimos jogos contra o São Raimundo - contando o último jogo da primeira fase e o primeiro da semifinal - levou nove gols. Mas o treinador confessa que além da parte tática, o psicológico dos jogadores também vem sendo trabalhado.

“Estamos mais voltados para a parte psicológica do grupo. Sabemos que não será nada fácil reverter essa situação, mas estamos se preparando da melhor maneira possível”, disse o treinador que além das conversas, confessa contar com a ajuda de vídeos motivacionais. E com trabalho e fé, o técnico espera reverter a situação. Exemplos de viradas no futebol é o que não falta.

“Claro que ninguém jogou a toalha, pelo contrário, estamos dando duro para que possamos reverter esse quadro”, disse o treinador.