Publicidade
Esportes
Craque

Base Jump do Amazonas salta de antena mais alta do Brasil

Stanley William foi até Oriximiná (PA) para realizar a aventura 16/04/2012 às 13:41
Show 1
A queda livre de Stanley William da maior antena do Brasil durou três segundos
Lorenna Serrão Manaus

Confronto com o medo, adrenalina pura e espírito de aventureiro esses são os ingredientes principais para a pratica do Base Jump, considerado o esporte mais perigoso do mundo e também o mais desafiante. A modalidade que consiste em realizar saltos de lugares onde ninguém jamais saltou, como de prédios, antenas e pontes, atrai cada vez mais adeptos no Brasil. No Amazonas, a ABN (Associação Base Jump do Norte) existe há três anos e o seu representante, Stanley William, já acumula vários saltos inusitados, inclusive da Ponte Rio Negro, na Zona Oeste de Manaus.

No último fim de semana, o atleta embarcou para cidade de Oriximiná (a 1.045 quilômetros de Belém) em busca de um novo desafio, saltar da maior antena do Brasil com 186 metros de altura. Mas para conseguir realizar a façanha, Stanley precisou superar outras barreiras, como horas de barco e muita chuva.

 “O percurso até a antena foi uma aventura a parte, mas nós conseguimos chegar. A subida demorou cerca de uma hora e quando já estávamos no topo veio à chuva, foi um verdadeiro teste de paciência e eu superei, quando a chuva passou olhei para o câmera e disse essa é a hora certa!, me posicionei, concentrei, abri contagem e saltei!”, contou William.

O salto em queda livre durou três segundos e depois o aventureiro abriu o paraquedas a 90 metros do chão.

“Naveguei e pousei suave o paraquedas ao lado da antena, muito satisfeito e orgulhoso, pois mesmo com tantas dificuldades consegui mais uma vez realizar um salto inédito de Base Jump. Sou o primeiro a saltar da maior antena do Brasil e mais uma vez, sei que estou levando o nome do Amazonas e Imagens da nossa Região para ser assistida pelo mundo todo”, finalizou.

Para praticar o Base Jump é preciso fazer um treino fora do Brasil que custa em torno de R$ 10 mil e ter um paraquedas apropriado para aberturas em baixas altitudes.