Publicidade
Esportes
Craque

Botafogo leva Taça Rio deixando Vasco com o vice

Fogão fatura a taça em cima do Vasco da Gama depois de 3x1 neste domingo. O próximo confronto será contra o Fluminense 29/04/2012 às 17:22
Show 1
Loco Abreu foi decisivo na vitória de 3x1 contra o Vasco
Pedro Ivo Almeida/ UOL Rio de Janeiro

O Botafogo venceu o Vasco por 3 a 1 neste domingo, conquistou a Taça Rio e vai disputar a final do Campeonato Carioca contra o Fluminense, nos dias 6 e 13 de maio. O destaque ficou por conta de Loco Abreu, que marcou os dois primeiros gols e foi fundamental para o título do segundo turno. O uruguaio já havia sido decisivo na semifinal contra o Bangu, quando balançou a rede em três oportunidades, e voltou a brilhar. Maicosuel anotou o terceiro tento alvinegro e Carlos Alberto descontou para os cruzmaltinos.

Sem poder contar com Renato, com uma entorse no tornozelo esquerdo, o técnico Oswaldo de Oliveira optou por recuar Fellype Gabriel e pela entrada de Maicosuel. A escolha do treinador se mostrou acertada logo aos 4min, quando o camisa 7 cobrou lateral com rapidez e encontrou Márcio Azevedo livre pela esquerda. O jogador teve apenas o trabalho de rolar para Loco Abreu, sem goleiro, completar e fazer 1 a 0.

Apesar do gol quem estava melhor na partida era o Vasco, que conseguia imprimir seu ritmo de jogo e frequentava mais o campo ofensivo do adversário. O Botafogo, por sua vez, baseava-se na vantagem obtida e explorava os contra-ataques com as velocidades de Maicosuel e Elkeson. Com apenas Marcelo Mattos de volante, a qualidade no meio-de-campo foi mantida - mesmo coma ausência de Renato. A marcação, no entanto, não estava afinada. O Cruzmaltino encontrava espaços e chagava com perigo ao gol de Jefferson.

Eder Luis teve duas boas chances para empatar a partida, mas pecou na finalização em ambas. Na primeira, ficou cara a cara com Jefferson, chutou cruzado, mas a bola foi para fora. Na segunda, Antônio Carlos afastou mal e a bola sobrou para o atacante, que isolou. Se o vascaíno estava com a pontaria ruim, o mesmo não se pode dizer de Loco Abreu. Em seu segundo chute, o uruguaio marcou seu segundo gol no clássico. Aos 46min, Elkeson cobrou falta, Fábio Ferreira cabeceou e o uruguaio escorou, 2 a 0.

“Sabemos da capacidade do Loco Abreu e treinamos muito isso. Não é por acaso, é muito treino. Eu, Elkeson e o Renato ficamos praticando. Está aí o resultado no jogo, graças a Deus”, disse Andrezinho na saída para o intervalo.

Na volta para o segundo tempo, o técnico Cristóvão Borges fez duas mudanças no Vasco: sacou Felipe e Alecsandro para as entradas de Juninho Pernambucano e Allan, respectivamente. Assim, Diego Souza foi adiantado e passou a atuar como atacante. Pelo lado do time da Estrela Solitária, Andrezinho, que havia sentido um desconforto na coxa esquerda, foi para o sacrifício e continuou em campo.

O Gigante da Colina voltou bem e logo no segundo minuto Fellipe Bastos acertou o travessão de Jefferson. Entretanto, o Botafogo utilizava a mesma tática do primeiro tempo: esperava o adversário atacar para responder utilizando a velocidade. Assim, Antônio Carlos bateu falta na defesa buscando Maicosuel no ataque. Aos 10min, o camisa 7 esperou a falha de Fagner, matou no peito, invadiu a grande área e tocou na saída de Fernando Prass para fazer 3 a 0.

Após o terceiro gol, Andrezinho fez sinal para Oswaldo de Oliveira pedindo substituição. O treinador optou pela entrada de Jádson, volante recém promovido  das categorias de base. Cristóvão fez sua última mexida, trocando Fagner por Carlos Alberto, que deu maior mobilidade ao Vasco e ainda diminuiu aos 35min, após boa tabela com Eder Luis. Fellype Gabriel sentiu o cansaço por jogar fora de posição e deu lugar a Gabriel.

Com o jogo terminando o Cruzmaltino partiu com tudo para cima do Alvinegro e pressionou o adversário na base do coração. Sentindo o momento negativo na partida, os torcedores botafoguenses soltaram o grito de campeão como forma de intimidar o Vasco. A tática deu certo e o time de São Januário pouco fez nos 4 minutos de acréscimo. Festa em General Severiano.