Publicidade
Esportes
GINÁSTICA

Campeonato de Ginástica representa novas oportunidades para atletas do Amazonas

Não é a primeira vez que a cidade está sediando a competição. Nos últimos anos a Federação Amazonense de Ginástica - FAG, tem trazido competições nacionais para Manaus 18/08/2017 às 15:30
Show ginasta
(Foto: Divulgação/Assessoria)
acritica.com

“A realização do Campeonato Brasileiro em Manaus  representa uma grande oportunidade de valorização para as nossas ginastas”, foi assim que a professora doutora e escritora Artemis Soares definiu o Campeonato Brasileiro de Ginástica Rítmica Juvenil e Pré-Infantil, que acontece até domingo, em Manaus, e está sendo realizado no Centro de Treinamento de Ginástica Rítmica e Artística, localizado na Vila Olímpica.  

Não é a primeira vez que a cidade está sediando a competição. Nos últimos anos a Federação Amazonense de Ginástica - FAG, tem trazido competições nacionais para Manaus. Os eventos precisam do envolvimento de muitos profissionais e grande logística.

Nesta competição estão participando 111 ginastas de 14 Estados. Nove atletas representam o Amazonas. Esse números deixaram Artemis, muito orgulhosa. Ela é considerada a precursora da modalidade no Estado e tem mais de 40 anos de estudos sobre o corpo na ginástica, sendo autora de livros sobre o tema como o último que está na segunda edição, “Ginástica Rítmica” uma edição da Valer. 

“Receber e realizar uma competição dessa é da maior importância e nossa responsabilidade é enorme. É a oportunidade que as nossas ginastas têm de se localizarem entre as ginastas que são apontadas como as tops do Brasil. É a chance que elas têm de verem o melhor da modalidade, pois poucas tem oportunidade de participar de competições em outros centros. O evento representa um momento propício para divulgar ainda mais esta modalidade esportiva atraindo novas atletas", reforçou a  ex técnica da modalidade  que já foi campeã brasileira dos Jogos escolares por duas vezes. 

Para ela, outra importância de Manaus receber este campeonato nacional é a participação dos árbitros locais que se reciclam, além do incentivo dos familiares que torcem por suas meninas. Ela confessou que quando introduziu a ginástica nas escolas, estimulando a participação das atletas em jogos estudantis, inclusive nacionais, jamais imaginou que a modalidade ganharia tanta força.

Alessandra Balbi, presidente da Federação Amazonense de Ginástica, não escondeu o orgulho.   Ela destacou que a importância do campeonato é para capacitar atletas e elevar o nível dos árbitros locais. A competição segue até domingo pela manhã, (20) e encerra às 12h. No sábado (19) as atividades iniciam às 10h e encerram às 20h. Os títulos são definidos por equipe, individual geral e por aparelho.        

*Com informações da assessoria de comunicação.