Publicidade
Esportes
Craque

Carlos Alberto Parreira participa da Bienal do Livro no Amazonas

O encontro, no Espaço do Território Livre, terá início às 18h30 e debaterá sobre o tema “Futebol e Copa do Mundo: uma conversa com Parreira” 03/05/2012 às 09:07
Show 1
Carlos Alberto Parreira estará debatendo sobre futebol na Bienal do Livro
Jornal A Crítica Manaus

O homem do tetra e ex-técnico da Seleção Brasileira, Carlos Alberto Parreira, desembarca nesta quinta-feira (03) em Manaus para a 1ª Bienal do Livro no Amazonas. O encontro, no Espaço do Território Livre, terá início às 18h30 e debaterá sobre o tema “Futebol e Copa do Mundo: uma conversa com Parreira”, com a mediação do jornalista amazonense Eduardo Monteiro de Paula. A entrada do evento custa R$ 2.

Conhecido nacional e mundialmente pelas conquistas da Copa do Mundo de 1994, ao lado de Zagallo, do Campeonato Brasileiro de 1984 com o Fluminense e a Copa do Brasil de 2002, com o Corinthians, a Bienal pretende, com Parreira, colocar em questão o esporte no Brasil, a discussão sobre  craques e as expectativas da Copa do Mundo de 2014.

Na ocasião, será possível fazer um intercâmbio entre o público e o ex-técnico, que é famoso por suas colocações. Nada mais justo, uma vez que Parreira coleciona experiências  de Copas do Mundo por cinco seleções diferentes: Arábia Saudita, Brasil, Emirados Árabes, Kuwait e África do Sul.  Ao comandar a Seleção Canarinho em 1994,  Parreira foi duramente criticado por seu estilo cauteloso e burocrático, além de ter sido considerado excessivamente teórico e esquemático dentro do campo, ao optar por um sistema extremamente defensivo. “O gol é só um detalhe”, dizia ele.

Após a eliminação do Brasil nas quartas-de-final da Copa do Mundo de 2006, o ex-técnico foi mal visto pela apatia e demora nas substituições. Críticos argumentaram que ele tinha nas suas mãos um dos maiores selecionados brasileiros de todos os tempos, mas não conseguiu fazê-los jogar convincentemente. Cafu, Roberto Carlos  Ronaldo, Adriano, Kaká e Robinho eram as estrelas do time.

O carioca ainda trabalhou em uma série de clubes pelo Brasil e pelo mundo. Suas passagens mais marcantes foram no Flu (seu time do coração), em 1984, quando o clube conquistou seu segundo título Brasileiro e em 1999, quando ajudou na recuperação do clube com a conquista da Série C.

Serviço

O que é: 1ª Bienal do Livro Amazonas

Quando: de 27 de abril a 6 de maio

Horário: 10h às 22h (com exceção do dia 27, quando abrirá as portas a partir das 12h)

 Onde: Studio 5 (Av. Rodrigo Otávio, 3.555, Distrito Industrial)