Publicidade
Esportes
AMISTOSO

Clássico do vôlei, Brasil e Estados Unidos se enfrentam em Manaus nesta terça-feira (15)

Em fase de preparação para a Copa dos Campeões, Brasil e Estados Unidos se enfrentam para testar elencos, em meio a processos de renovação das duas seleções 15/08/2017 às 18:55 - Atualizado em 15/08/2017 às 20:58
Show  asl3739
Campeão Olímpico no Rio 2016, Lucarelli é um dos astros mais aguardado pelos amantes do voleibol (Foto: Antônio Lima)
Valter Cardoso Manaus-AM

Daqui a pouco, a Seleção Brasileira de Vôlei reencontra o público amazonense diante dos Estados Unidos em amistoso que prepara para a Copa dos Campeões, em setembro, no Japão. Apesar de não ser uma partida oficial, o clima não é de passeio a Manaus. “É um clássico internacional, então é uma bela oportunidade de testar novos jogadores e pensar sempre no futuro do nosso voleibol porque estamos começando um ciclo olímpico muito importante”, pontuou o técnico da seleção, Renan Dal Zotto. 

O confronto na Arena Poliesportiva do Amazonas (antiga Arena Amadeu Teixeira) acontece a partir de 20h, dois dias após o primeiro confronto entre as duas equipes nesta série de amistosos.

“Brasil e Estados Unidos sempre fazem jogos bastante equilibrados, mas são jogos importantes para o desenvolvimento, o trabalho de renovação tanto nosso quanto deles, por isso essa sequência de jogos. No domingo, foi um jogo bastante importante, também em São Paulo com a casa cheia, tenho certeza que aqui vai estar lotado também e vamos fazer um grande jogo”, completou Renan.

A partida ganha uma importância ainda maior para os jogadores que estão brigando para conquistar lugar na seleção principal. Para os mais experientes, a renovação é bem vinda na amarelinha. “É um ano de renovação, a hora dos testes é agora, o ano pós-olímpico. Acho que está sendo bem legal e os mais jovens tendo objetivo. Os mais jovens estão vindo para somar”, explicou Maurício Borges, ponteiro da seleção.

Torcida

O contato com a torcida foi grande desde que os jogadores brasileiros desembarcaram em Manaus. A estratégia de trazer o jogo com os americanos para a capital amazonense foi elogiada pelo campeão olímpico. “Eu acho bem legal. Eu sou do nordeste, então isso para mim está sendo muito bacana, indo jogar em locais que não tem tanta expressão, mas a torcida comparece em peso, é muito legal esse acolhimento que a cidade nos dá. É muito bacana”, completou Maurício Borges.