Publicidade
Esportes
Craque

Com apagão e briga, Corinthians anula Santos, vence na Vila e se aproxima de sua 1ª final

Na noite desta quarta-feira, o time de Parque São Jorge foi quase perfeito na marcação, anulou Neymar, Ganso e cia. e venceu o Santos por 1 a 0 na Vila Belmiro 13/06/2012 às 23:32
Show 1
Jogadores do Corinthians comemoram o gol marcado por Emerson contra o Santos
Uol/Esporte ---

O Corinthians está a um empate em casa de sua primeira final de Copa Libertadores da América. Na noite desta quarta-feira, o time de Parque São Jorge foi quase perfeito na marcação, anulou Neymar, Ganso e cia. e venceu o Santos por 1 a 0 na Vila Belmiro, gol de Emerson Sheik

O esperado confronto brasileiro pela semifinal sul-americana teve de tudo. Troca de empurrões por duas vezes por causa de Neymar, falta de luz, conflito entre torcedores e a polícia e a expulsão de Emerson Sheik.

Os corintianos ainda reclamaram de dois pênaltis sobre o atacante de 33 anos, um no primeiro e outro no segundo tempo. O árbitro mandou seguir as duas jogadas.

Aos 31 min da etapa final, o camisa 11 do Timão levou o segundo amarelo, após falta dura em Neymar, que voou e ficou rolando no chão. Minutos antes, o astro santista havia cometido uma falta dura em Leandro Castán e só levou o amarelo, para irritação dos visistantes.

O apagão ocorreu aos 36 min da etapa final, quando o conjunto da capital atacava. A partida ficou parada por 18 minutos. Na volta, o Peixe tentou o abafa, porém sem sucesso. Agora terá de vencer no Pacaembu, na próxima quarta, para manter vivo o sonho do tetra.

A estratégia armada por Tite, de posicionar seus 11 atletas no campo de defesa e sair rápido para o contra-ataque, funcionou. Com Ganso e Neymar apagados, aparentemente com medo de chamar a responsabilidade, a equipe do técnico Muricy Ramalho fez um primeiro tempo pífio. No segundo apareceu mais no ataque, porém sem qualidade para finalizar.

O posicionamento em campo mostrou que os dois treinadores fizeram a lição de casa e estudaram o adversário. Neymar tem como principal característica atuar pelo lado esquerdo do ataque. Para neutralizá-lo, Tite orientou Jorge Henrique a ficar mais recuado. O jovem de 20 anos tentou mudar de lado. Apareceu pela direita do ataque ou pelo meio, só que sem brilhantismo.

Sem centroavante, o Timão teve Alex e Danilo centralizados e Emerson Sheik e Jorge Henrique pelas pontas. A marcação foi eficiente, frequentemente com todos os jogadores no campo de defesa.

Melhor postado, os visitantes aceleraram o jogo quando desarmavam o adversário. Foi assim que, aos 27 min, Paulinho arrancou pelo meio e fez a assistência para Emerson Sheik. Sozinho na área, o camisa 11 ajeitou para a direita e bateu colocado, no ângulo de Rafael.

Já os donos da casa pareciam que estavam com o freio de mão puxado. Erravam muitos passes no ataque e o goleiro Cássio foi um mero espectador na etapa inicial.

Para tentar mudar a partida, Muricy fez algo que não é de seu costume ao mexer na escalação durante o intervalo. Sacou Elano, muito mal em campo, e colocou Borges.

Com dois centroavantes, o Peixe passou a ter mais presença no ataque, e Cássio apareceu com defesas seguras e importantes - a melhor delas aos 35 min, quando soltou com estilo e, no reflexo, espalmou um chute forte de Juan.

A noite não foi do alvinegro praiano, que sucumbiu à melhor defesa da Libertadores.