Publicidade
Esportes
ALÍVIO

Com pênalti perdido e virada no fim, Nacional vence Penarol e 'respira' no Barezão

No duelo dos Leões deste domingo (11), o Leão da Vila Municipal levou a melhor e venceu com gol de Guigui nos minutos finais 11/03/2018 às 17:58 - Atualizado em 11/03/2018 às 18:01
Show ok
Foto: Antônio Lima
Camila Leonel Manaus (AM)

Na luta contra o rebaixamento, o Nacional venceu o Penarol de virada por 2 a 1, na tarde desde domingo (11), no Carlos Zamith.

Pela última rodada do segundo turno do Barezão 2018, o Nacional recebe o Princesa do Solimões, também no Carlos Zamith, sábado (17), às 16h. No mesmo horário, em Itacoatiara, o Penarol recebe o CDC Manicoré no Floro de Mendonça.

O jogo

Na sétima colocação na classificação geral, o Naça precisava da vitória e a torcida sabendo disso se pôs a cantar e incentivar o time. Os jogadores sabiam da obrigação de vencer e tentavam manter a posse de bola.

Paulo Roberto fez jogada pela esquerda, saiu carregando a bola e chutou cruzado. A bola foi ao lado do gol. O que se seguiu foi um jogo pegado,com muitas faltas, marcação forte e pouco perigo de gol.

Nervoso, o Nacional se apressava e a situação ficou mais tensa quando o Penarol cobrou falta pela esquerda, Ivanzinho na pequena área chutou, Valverde rebateu a bola e, na sobra, Charles Chenko abriu o placar.

O gol fez o time nacionalino ficar mais tenso. Fininho cobrou falta, Balotelli pegou um rebote de Rascifran, mas mandou para fora. Glaybson recebeu um lançamento e chutou firme. Mais uma vez Rascifran defendeu. Balotelli tentou de longe, e a bola foi acima do gol.

Após o tento, o Penarol pouco fez. Apenas um chute de Railson por cima do gol e uma tentativa de contra ataque com Branco. Por outro lado o Nacional continuava tentando até que aos 49 a persistência foi recompensada.

Após jogada pela direita,  Balotelli recebeu no meio e abriu no lado direito para Paulo Roberto chutar cruzado. Gol do Nacional que deixou o placar igual e pôs fogo na partida.

Na segunda etapa, o Nacional voltou com tudo. Paulo Roberto no primeiro lance passou por dois, entrou na área, mas, quando iria chutar, a zaga afastou o perigo. A bola saiu e na cobrança de lateral, Gladiador recebeu dentro da área e chutou, mas Rasci defendeu.

Mais tarde, Glaybson experimentou de fora, a bola passou na frente do gol, mas sem alguém para empurrá-la ao gol, ela se perdeu na linha de fundo.

A pressão do Nacional continuava e, aos 19 minutos, o juiz Weden Cardoso interpretou que Pastor fez falta em Paulo Roberto dentro da área e marcou pênalti. Glaybson cobrou no meio do gol, mas Rasci defendeu o que seria a virada do Nacional.

Enquanto isso, o Penarol chegou apenas uma vez no gol nacionalino em uma cobrança de falta de Railson que parou direto nas mãos de Valverde.

Aos 30, Leozinho cometeu falta e o clima esquentou. Leozinho, do Penarol, e Carlos Felipe, do Nacional, foram expulsos. Uma confusão se iniciou e sobrou cartão amarelo para Jeferson, Ferrugem e Ivanzinho, do Penarol, e Siqueira, do Nacional.

Quando o jogo parecia que terminaria empatado, em escanteio cobrado por Paulo Roberto, Balu cruzou e Guigui, de cabeça, mandou para o gol. Comemoração da torcida nacionalina que respira pelo menos até o próximo sábado.

Publicidade
Publicidade