Publicidade
Esportes
Craque

Comissão do Esporte da Câmara debate a profissionalização do futebol feminino

Ex-jogadora da seleção brasileira, Michael Jackson, é uma das líderes que lutam pela profissionalização do futebol feminino no parlamento federal 15/10/2015 às 16:02
Show 1
Frente parlamentar foi criada para estudar a profissionalização do futebol feminino
Acritica.com Manaus (AM)

A Comissão do Esporte da Câmara dos Deputados realizou na última quarta-feira (14) audiência pública para debater os desafios para a criação de equipes femininas de futebol profissional. A coordenadora de futebol feminino no Ministério do Esporte e ex-jogadora da seleção brasileira, Michael Jackson, participou da reunião para falar sobre a situação da modalidade no país e discutir meios de profissionalizar o esporte e dar melhores condições às atletas.

“Defendi o futebol feminino por 30 anos. Quando parei de jogar, não tive aposentadoria. Com meu trabalho, jogando fora do país, consegui minha independência financeira, mas muitas se perdem pelo caminho e isso não é justo para um país do futebol”, discursou Michael Jackson.

Durante a audiência, técnicos e dirigentes da modalidade concordaram que o caminho para valorizar o esporte é investindo na base. “O dom precisa ser estimulado. Se a escola não tem educação física, como vamos fazer? A Islândia tem futebol feminino, temos até uma atleta jogando lá. Vi nas escolas do Canadá meninas jogando futebol o tempo todo. Temos que estimular a modalidade na essência, no nascedouro”, comentou Marco Aurélio Cunha, coordenador do futebol feminino na Confederação Brasileira de Futebol (CBF).

Segundo Michael Jackson, os primeiros passos já estão sendo dados, como a construção do Centro de Excelência em Foz do Iguaçu (PR). “Já saímos da estaca zero. Hoje já temos uma competição sub 17 escolar, uma adulta universitária e este ano vamos ter também uma de futsal”, citou a coordenadora.

Capitã da seleção brasileira, a jogadora Bruna Benites também participou da audiência e destacou o fato de a luta pela profissionalização do futebol feminino ter chegado à Câmara. “Estou muito feliz, pois até então o esforço sempre foi individual, por parte de atletas e dirigentes que vivem o dia a dia e lutam por seus clubes. Hoje pude ver que nosso esforço está se transformando em algo coletivo”, afirmou a atleta, que se recupera de lesão no joelho.