Publicidade
Esportes
Craque

Conheça a rotina e a família do lutador de UFC Jacaré

Lutador fala ao CRAQUE sobre UFC, adversários e da esposa e filhos, considerados suas bençãos 17/03/2013 às 10:49
Show 1
Em casa Jacaré, ao lado da esposa Larissa e os dois filhos: descontração
Paulo Ricardo Oliveira ---

Ronaldo Souza dos Santos, 33, o Jacaré, vive o que se pode considerar o auge da carreira. Ele fará quatro lutas como funcionário do UFC e já entra no evento como o 8º do ranking dos pesos médios (entre 77 e 84 quilos), onde Anderson Silva reina absoluto desde 2006.

A estreia do capixaba que morou em Manaus 15 anos da vida dele será dia 18 de maio contra Constantinos Philippou, da mesma idade, no UFC on FX 8, na cidade de Jaraguá do Sul, em Santa Catarina. O adversário nascido do Chipre é uma pedreira. Ocupa a 5ª colocação na categoria e vem de uma sequência de cinco vitórias no Ultimate.

“Ele é um lutador duríssimo, que tem o boxe por excelência e sabe muito bem defender quedas. Mas nunca foi testado no chão. E é para lá que eu vou levá-lo. Estou muito bem treinado, muito bem de cabeça, e, na hora da luta, vou estar mais focado ainda para garantir essa vitória para o Brasil”, disse Jacaré.

Caso vença Philippou, Jaca dá um grande salto no ranking na direção de Anderson Silva, o campeão dos médios. “Não é uma coisa que eu deva falar a respeito nesse momento. Além de amigos, somos da mesma academia (X-Gym) e isso pode gerar conflitos. Não é minha pretensão enfrentar o Anderson. Não mesmo”.

Já contra Vitor Belfort, o número 3 dos médios, o capixaba mais amazonense do mundo da luta aceitaria na hora. “Se o Dana White quiser, farei essa luta (contra o Vitor) para os fãs. Seria uma ótima luta, pois o Vitor é um grande atleta”.

Jacaré tem dividido o tempo entre os treinos diários na X-Gym, academia localizada próxima do condomínio onde mora com a família, no Recreio dos Bandeirantes, zona nobre do Rio de Janeiro, e os familiares, a esposa Larissa e os filhos Enzo, de dois anos e meio, e Ryan, de um ano. “Meus filhos e minha esposa são bênçãos que Deus me deu. Eu luto por eles. Estou muito feliz. Quando não estou treinando, estou em casa com eles”, declara.

Além do contrato com o UFC, que assimilou o extinto Strikeforce, Jaca ganhou um patrocínio da Prefeitura de Manaus no valor de R$ 4 mil mensais em razão do conjunto da obra.

“Toda ajuda é bem vinda. É sempre bom quando você tem seu trabalho reconhecido, quando você é lembrado. Eu sempre defendi o Amazonas e não é agora que vai ser diferente”, disse o faixa-preta de jiu-jitsu, que, como contrapartida, virá a Manaus em datas a serem marcadas para repassar conhecimento sobre lutas a iniciantes. “É importante que a prefeitura faça esse trabalho de base, pois é daí que surgem os grandes campeões. Manaus, aliás, é um celeiro de campeões de lutas marciais”.