Publicidade
Esportes
PELADÃO

Conheça o goleiro John Wesley: herói do Favelinha Monte Sião

John defendeu dois pênaltis no Estádio Carlos Zamith e levou o Acec/Panair para oitavas-de-final do Peladão 15/12/2017 às 09:36
Show goleiro 1
John ficou surpreso com a recepção calorosa dos seus colegas de time e com a torcida do Favelinha, após o jogo (Fotos: Evandro Seixas)
Jéssica Santos Manaus (AM)

O goleiro do Favelinha Monte Sião, John Wesley, de 24 anos, teve uma atuação impressionante no jogo que disputou diante do Acec/Panair, realizado no Estádio Carlos Zamith, no último sábado (9). O Favelinha se classificou para as oitavas-de-final do Peladão após John defender dois pênaltis, um durante o tempo normal da partida, que terminou em 0 a 0, e quando a disputa foi para a decisão por pênaltis, John pegou mais um, ajudando e muito o seu time na classificação. Suas defesas foram muito comemoradas e, após a partida, o goleiro falou sobre seu dia especial no Peladão.

“Pra eu ter conseguido uma boa atuação não foi fácil. Em primeiro lugar, peço e agradeço muito a Deus, em segundo, vêm os treinos e a confiança que cada jogador do nosso time passa pra mim. Na hora do primeiro pênalti, eu recebi muito apoio, incentivo dos jogadores do nosso time, e isso já me deixa bastante motivado, sem me esquecer da nossa torcida”, disse ele.

Depois de ter sido o herói do dia para a Favelinha Monte Sião, John disse que ficou surpreso com a recepção que teve de seus colegas e da torcida. 

“A comemoração foi boa, ficou mais por parte da torcida, eu fiquei até surpreso, a torcida saiu do estádio até o bairro que moramos cantando, fazendo barulho, foi uma bagunça organizada. Já nós, chegamos ao bairro, até a casa do presidente do time, Estarlem Ramos, e fizemos uma comemoração simples, com churrasco, refrigerante e muita música”, conta ele. 

Foi muita alegria para o time Favelinha graças às grandes defesas de John, mas o goleiro revela que precisou se desdobrar para estar presente na partida decisiva do seu time, no sábado. “O último jogo pra mim foi uma coisa de Deus, uma coisa inexplicável. Pra começar, eu tive que pedir uma saída do meu trabalho (John trabalha na TSE Brasil), ainda assim cheguei atrasado, minha equipe praticamente dentro de campo, e só deu tempo de agradecer a Deus e pedir proteção, e fomos pro jogo”, relembra ele.

Agora John e todo o time Favelinha Monte Sião não veem a hora de chegar o momento do próximo confronto do time, que ainda não será nesse final de semana. "Estou muito ansioso para nosso próximo jogo no Peladão, pois ainda não sabemos qual time iremos enfrentar, então, isso cria uma expectativa muito grande, além do mais, só ficaram times bons", disse ele.

Este é o segundo ano de John no Favelinha, e ele conta que jogou em dois outros times antes. Mas John nem sempre foi goleiro. “Eu comecei no Bom de bola, e eu jogava na zaga”, revela.