Publicidade
Esportes
ELES CONSEGUIRAM

Conheça os segredos do acesso do Atlético-AC que subiu para a Série C

Atlético Acreano conseguiu acesso para a Série C do Campeonato Brasileiro em 2018 com empréstimos, “terceirização do clube”, elenco barato e briga para segurar jogadores 20/08/2017 às 14:33
Show 20615728 693214870869513 6013625015301070235 o
Com folha salarial de R$ 60 mil, jogadores formados na base da região, time conseguiu montar um elenco competitivo e barato. (Foto: Divulgação/Facebook)
Valter Cardoso Manaus

O Norte conquistou, no último domingo (13), mais uma vaga entre os clubes da terceira divisão nacional. O representante, mais uma vez, não saiu de solo amazonense, foi o Atlético Acreano.  O CRAQUE foi atrás da ‘receita mágica’ usada pelo Galo Carijó para entender o caminho.

A festa pelo acesso coroou uma verdadeira batalha contra as dificuldades de se fazer futebol no Norte e o cenário vivido no estado vizinho não é muito diferente do que encontramos nos campos amazonenses. “Não temos fonte de renda para pagar jogadores, apostamos em um projeto, fiz empréstimos para poder custear o clube, tive ajuda da minha esposa (vice-presidente do clube), que conseguiu patrocínios e também tirou dinheiro do bolso para ajudar a equipe. Hoje podemos dizer que é a coroação desse trabalho, deste esforço porque acreditamos em um sonho e conseguimos”, explicou o presidente Elison Azevedo.

A conquista veio através de uma profunda mudança dentro do clube. No ano passado, o Atlético sequer disputaria o Estadual, por conta de dificuldades financeiras, mas uma parceria foi firmada para a reconstrução do time. Com jogadores da base, o caminho mais curto sempre foi pensar no próximo passo. “Nosso objetivo foi crescendo passo a passo. Primeiro nosso objetivo era ganhar o primeiro turno do Estadual, ganhamos. Depois, conseguir a vaga na Série D e o acesso para a Copa do Brasil, conseguimos. Então o objetivo passou a ser campeão estadual, conseguimos. Depois do estadual, resolvemos focar na Série D e foi o que aconteceu no ano passado. Quando focamos, batemos na trave e perdemos no jogo do acesso. Resolvemos manter o mesmo elenco, lutamos contra assédio a jogadores, alguns foram e depois retornaram para a nossa equipe. Neste ano fomos caminhando passo a passo para chegar na mesma condição do ano passado. Neste jogo do acesso tinhamos que fazer tudo para passar de fase, conseguir a vaga, e deu certo. Agora nosso foco é brigar pelo título”, contou o presidente.  

Mas com dificuldades financeiras, como é possível manter os jogadores que tinham recebido propostas melhores?  “Acreditando no projeto, trabalhando. Dizendo ‘vamos juntos, vamos conseguir, a valorização vai vir e vocês vão conseguir coisa melhor’. Então foi valorização da equipe e crescimento.  Graças a Deus, temos um grupo muito bom, uma equipe muito boa, e em cima disso os atletas focaram para poder estar aqui”, resumiu o presidente.  A equipe e metodologia de trabalho foram mantidas por mais um ano e o resultado apareceu.

 Com o empate por 1 a 1 contra o São José no último domingo (13), o  Atlético-AC conquistou o primeiro acesso de sua história. O último  representante do Acre na Série C foi o Rio Branco, em 2013. A última vez que um clube amazonense esteve nesta divisão foi em 2008, com o Holanda, quando ainda era a última divisão do futebol nacional.